29 de abr de 2016

GDF promove alterações no passe estudantil

Tarik Araújo Foto Joaquim Dantas
Tarik Araújo
Foto Joaquim Dantas
Governo do Distrito Federal diminui a quantidade de viagens, corta linhas e dificulta emissão de 2ª via do cartão do passe estudantil.
De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

A denúncia foi feita na noite desta quinta-feira (28) por dois dirigentes de grêmios estudantis do Distrito Federal. Segundo o presidente do Grêmio Estudantil do Instituto Federal Brasília, IFB, campus Samambaia, Tarik Araújo, o GDF diminuiu de 84 para 54 viagens com o cartão do passe estudantil dos alunos, desde o ensino fundamental ao ensino superior, obrigando os alunos a terem que desembolsar o dinheiro para pagar a passagem nos ônibus.

Segundo Tarik "a gente tinha uma quantidade de passes que ela supria a necessidade da gente durante o mês inteiro a quantidade de acessos e agora essa quantidade foi reduzida sem nenhum aviso prévio, eles (o GDF) simplesmente cortaram e a gente ficou agor com praticamente duas semanas sem o passe estudantil", denunciou o aluno.

Questionado sobre o uso do cartão aos sábados Tarik disse que "a questão do sábado ela varia, isso é de acordo se o aluno tiver aula aos sábados é que pode usar, caso contrário, não pode usar para ter acesso à Cultura ou eventos esportivos aos sábados e domingos. Quem, normalmente, pode utilizar o cartão aos sábados são os alunos de curso superior, desde que comprove que tem aulas aos sábados, mas a grande maioria não pode", afirmou o aluno.

Segundo o estudante a grande maioria dos alunos só pode utilizar quatro acessos por dia, como o passe estudantil não vale para a chamada *integração, o aluno que mora no entorno e pega duas conduções por dia para ir à escola e duas conduções para voltar para casa, quando chega na metade do mês ele já começa a pagar as passagens em dinheiro, porque não dispõe mais de créditos no cartão do passe estudantil.

Tárik disse ainda que esses estudantes estão gastando, em média, cerca de R$ 14,00 por dia e que esta conta pode chegar até R$ 210,00 por mês, apenas para ir e voltar da escola e que muitas famílias não têm condições de pagar este valor.

Já para o estudante Marcelo Acácio, além da redução da quantidade de passes estudantís, o GDF reduziu também a quantidade de linhas dos ônibus que os alunos tinham acessos, sem citar quais linhas foram reduzidas, ele disse que muitos estudantes estão reclamando que não conseguem mais utilizar o cartão em diversas linhas que antes utilizavam.
Marcelo Acácio, diretor do Grêmio Estudantil Honestino Guimarães do Elefante Branco/DF
Foto Joaquim Dantas

Marcelo disse ainda que outra dificuldade que os estudantes estão tendo é para tirar a 2ª via do cartão. Segundo ele, no governo anterior, quando o aluno perdia o cartão bastava bloqueá-lo no site do DFTrans, dirigir-se à um posto do órgão, pagar uma taxa de R$15,00 e retirar a 2ª via do cartão, mas que agora tem aluno que está levando até 30 dias para receber um novo cartão do passe estudantil.

Como se não bastasse diminuir o valor do Cartão Material Escolar, o GDF agora prejudica os alunos, dificultando a mobilidade deles. Lamentável.
Postar um comentário