2 de jun de 2016

Os bastidores da eleição da Mesa Mediadora do FComGama

Opinião
Editorial do Blog do Arretadinho sobre o processo eleitoral da Mesa Mediadora do Fórum Comunitário e de Entidades do Gama, FComGama.
por Joaquim Dantas

Todo processo eleitoral é construído com articulações, tentativas de desconstruções, alguma truculência implícita e as vezes até explicita mas, acima de tudo, com a defesa dos interesses dos envolvidos no processo. Não podia ter sido diferente com a eleição da Mesa Mediadora do FComGama no último dia 28 de maio no Centro de Ensino Médio 2, CEM 2.

O FComGama existe há mais de 10 anos e, durante esse período, uma de suas funções principais - cobrar do poder público a solução dos problemas da cidade - ficou entorpecida, quase que em total inércia porque, mesmo que se alardeie que o Fórum é apartidário - e efetivamente ele é - os componentes da Mesa Mediadora defendem posições políticas partidárias ou ideológicas.

Antes das eleições do dia 28 de maio de 2016, a mesa mediadora que conduzia os trabalhos do FComGama tinha uma postura firme na cobrança dos gestores locais, principalmente da Administração Regional do Gama, gerando resultados positivos para a sociedade.

Como o prazo de 180 dias para a eleição dos membros de uma nova Mesa Mediadora já havia expirado, percebeu-se um movimento que teria como objetivo, entre outros, anular as ações mais firmes do FComGama, principalmente no que diz respeito as criticas e cobranças à administração regional.

Às vésperas da eleição um dos pré-candidatos solicitava insistentemente a inclusão de cerca de 20 nomes no grupo do Fórum no WhatsApp, pedido que a Mesa atendeu conforme os nomes iam sendo indicados. Acontece que quanto mais nomes eram incluídos no grupo, mais nomes eram indicados pelo então pré-candidato.

Um dos membros da Mesa, Marcio Carneiro, percebeu que o perfil de todos os perfis que haviam sido incluído pelo pré-candidato e os que ainda esperavam inclusão no grupo, faziam a defesa incondicional da administradora da cidade em outros grupos e redes sociais. Constatado este fato, Carneiro encaminhou aos demais membros da Mesa requerimento solicitando a suspensão da inclusão de novos membros ao grupo virtual durante o processo eleitoral, até que o pleito estivesse definido, para que assim ficasse garantido o equilíbrio do processo, anulando a velha prática de curral eleitoral. A Mesa deferiu o requerimento.

Com boa capacidade de articulação, Carneiro reuniu, com o objetivo de eleger uma mesa independente, representantes de 6 partidos políticos: PT, PDT, PCdoB, PPS, Rede e PSB, além de 4 assessores parlamentares, sindicatos, moradores da área rural, membros de conselhos comunitários locais e parte da Torcida Ira Jovem do Gama. 

Esta nova composição de forças garantiu a anulação das estratégias das forças aliadas à gestão governista atual, além de garantir a eleição, como mais votadas, de duas mulheres extremamente comprometidas com a cidade do Gama, a advogada Júlia Oliveira e a professora Joana D'arc, permitindo a continuidade de uma Mesa Mediadora independente. Os demais componentes da Mesa são o Sr Juarez Carneiro, o estudante de Direito Higor Alves e o contabilista Marcio Carneiro.

Mesmo vivendo tempos em que alguns almejam o retrocesso, temos a certeza de que ainda somos muitos na resistência e na defesa da democracia.

#Evoé

Nova Mesa Mediadora do GComGama. Das esquerda para a direita
 Higor Alves, Júlia Oliveira, Marcio Carneiro, Joana D'Arc
e Juarez Carneiro/Foto Israel Carvalho/Gama Cidadão

Postar um comentário