17 de dez de 2016

Até quando o machismo vai continuar matando?

Até quando as famílias continuarão chorando a morte de suas filhas por causa do machismo?
“Não dá mais para continuar assim”, assevera Ivânia Pereira, secretária da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). Ela se refere a mais um feminicídio que ceifou a vida da militante da União da Juventude Socialista (UJS) e da União Brasileira de Mulheres (UBM), Débora Soriano, de apenas 23 anos.

Soriano foi estuprada e assassinada. “Débora era uma jovem mulher, com a vida toda pela frente, cheia de sonhos e expectativas, mas que foi brutalmente violentada e assassinada. Débora acreditava em uma sociedade melhor e mais justa, irradiava alegria de viver e esperança em um mundo novo, para ela e seus dois filhos pequenos”, diz nota da UBM. Leia a íntegra no final.

A secretária de Políticas para as Mulheres da Prefeitura de São Paulo, Denise Mota Dau também prestou solidariedade. “A Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM) de São Paulo manifesta sua revolta e tristeza com a notícia da morte da jovem que foi violentada e morta”, diz trecho de nota divulgada pela SMPM.

“O machismo mata”, diz Dau. “Para combater essa dura realidade é fundamental a continuidade e ampliação de políticas públicas que priorizem a vida das mulheres”, afirma.

“A CTB se indigna com mais esse crime hediondo e exige apuração rigorosa para a imediata prisão do algoz”, reforça Pereira. “As mulheres não podem mais a levar a vida com medo. Precisamos tomar as ruas e denunciar todo o tipo de agressão, desde um assovio indesejado na rua até a violência física. As mulheres precisam se unir para dar um basta definitivo”.

De acordo com Pereira, "há necessidade de punições mais severas aos crimes hediondos como esse". A UJS e a UBM estão convidando a todas e todos para um grande ato de solidariedade à família dessa jovem no vão do Masp, na avenida Paulista, neste domingo (18), às 14h. Compareça para dar fim a tanta violência contra as mulheres.

Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy
Postar um comentário