14 de mar de 2015

Administração do Gama quer "disciplinar" feirantes

Muitos moradores preferem fazer suas compras na
sexta-feira à noite
Foto Joaquim Dantas/Blog do Arretadinho
Administração do Gama quer "disciplinar feirantes e deixa dezenas de famílias aflitas

Do Gama
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

A Feira dos Goianos, que há mais de 20 anos funciona na rua do antigo supermercado da SAB no Gama Leste, está correndo o risco de ter um dia a menos de atividade. A denúncia foi feita pelos feirantes ao Blog do Arretadinho na noite desta sexta-feira (13), dando conta de que a Administração Regional do Gama pretende permitir que a feira funcione apenas aos sábados.

Entendendo o caso
A feira dos goianos reúne micro e médios produtores rurais do Distrito Federal e entorno, sendo que alguns feirantes são moradores do Gama, como é o caso do comerciante que fala no vídeo abaixo.

Ao serem informados da decisão da Administração Regional em permitir que a feira funcione apenas aos sábados, uma comissão foi formada para dialogar com a administradora da cidade, professora Maria Antônia. A comissão foi encabeçada pelo vereador do Novo Gama, Alan do Sacolão (PSD/GO), que relatou  não ter ficado satisfeito com o encontro porque, segundo ele, a administradora se mostrou intransigente em sua proposta, relatou ainda que o poder público  justificou a decisão de não permitir as atividades no local às sextas-feiras em função das inúmeras reclamações dos servidores do posto de saúde e do Centro de Ensino Fundamental 4, situados em torno da feira, fato negado pelos servidores, conforme constatação feita no final da tarde de ontem, quando presenciamos inclusive uma médica com uma sacola de verduras e legumes, adquirida em uma das bancas.

Segundo relatos de alguns feirantes o vereador propôs à administradora fazer um abaixo-assinado e que ela teria dito que "fazer um abaixo-assinado é fácil, você vai ali na rodoviária e todo mundo assina", estranha afirmação visto que o objetivo é exatamente este, colher assinaturas em apoio à alguma coisa.

Por volta das 20h uma representante da deputada distrital Celina Leão, PDT, foi enviada ao local para ouvir os feirantes e comprometeu-se que a deputada tomaria conhecimento das demandas e as levaria ao governador Rodrigo Rollemberg.
Segundo os feirantes já virou tradição a feira funcionar
dois dias nos finais de semana
Foto Joaquim Dantas/Blog do Arretadinh

O outro lado da moeda
Por telefone falamos com a Administradora da cidade na manhã deste sábado (14), que negou a intenção de retirar os feirantes do local, mas admitiu que pretende "disciplinar" as atividades da feira.

Segundo Maria Antônia, os comerciantes das feiras do Setor Sul, da quadra 23, da Rorizlândia e da Feira Permanente, reclamam que só podem exercer suas atividades 1 dia por semana, enquanto a feira dos goianos funciona às sextas e sábados, que montam suas barracas às quintas-feira no período noturno.

Maria Antônia informou que os comerciantes da feira dos goianos são oriundos do município vizinho do Novo Gama e que, por uma questão de justiça com os feirantes do Gama, pretende estabelecer que os "goianos" trabalhem apenas 01 dia por semana, disse ainda que se deixar as coisas como estão terá que permitir que outras feiras da cidade aumentem 01 dia as suas atividades, o que, segundo ela, transformaria o Gama na "cidade das feiras", fato que traria prejuízo aos comerciantes da cidade, que pagam impostos e geram empregos.

A professora informou ainda que os feirantes pagam de R$ 20,00 à R$ 100,00 de taxas aos administradores da feira dos goianos e que nenhum valor é repassado `Administração Regional, entretanto, o Serviço de Limpeza Urbana, SLU, da cidade é quem arca com o ônus do recolhimento do lixo no final da feira. Neste quesito me parece haver uma contradição de algum dos lados porque, se quem faz o recolhimento destes valores é a associação dos feirantes deve ser apenas para fazer caixa, porque a feira ocupa espaço público e, aparentemente não tem despesas nem com recolhimento do lixo. Por outro lado é de se estranhar que um grupo de comerciantes ocupem uma área pública e não seja cobrado o devido preço público pela ocupação, conforme me relatou a administradora por telefone.

Por fim, Maria Antônia informou que sua intenção é de estabalecer a justiça mediante a igualdade de direitos a todos, usando os mesmos critérios.

Confira o vídeo com o apelo dos feirantes:

Postar um comentário