13 de mai de 2015

Homem que cozinha pode virar gay, diz igreja

Homens que realizam tarefas domésticas, como cozinhar, podem "adoecer de homossexualidade", prega igreja.

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

Nada mais me surpreende no que diz respeito as coisas ditas pelos fundamentalistas cristãos e neo pentecostais. A mais recente vem do Chile e foi publicada no perfil do Facebook da Igreja Evangélica Pentecostal do Renascimento, afirmando que os homens que "realizam tarefas de mulher", como cozinhar, cuidar dos filhos, lavar louça e coisas parecidas, “correm graves riscos de adoecer com homossexualidade”.

A publicação resultou numa reação imediata de internautas indignados com a afirmação, milhares de comentários, inclusive de evangélicos, repudiando a postagem obrigaram a igreja a deletar o post e publicar um pedido de desculpas aos que sentiram-se ofendidos.

Para a igreja do Renascimento a homossexualidade não é uma simples enfermidade, é uma doença contagiosa que o homem adquire ao realizar tarefas que sempre foram "exclusiva das mulheres", reforçando o coro machista e homofóbico da maioria dos cristãos.  “A homossexualidade é uma doença que os homens podem contrair se realizarem práticas que antes eram consideradas responsabilidade exclusiva das mulheres”, dizia o texto no Facebook.

A igreja queria promover um seminário sobre “aprender a lidar com a homossexualidade” e, segundo a direção da congregação, o objetivo da postagem foi de convidar os homens a participarem do seminário. 

Mesmo com um suposto embasamento bíblico para justificar a tese de que a homossexualidade é uma doença, os religiosos tentam disfarçar um machismo explicito ao dizer que “as atividades próprias da mulher podem adoecer os homens até convertê-los em gays”, esquecendo que a divisão das tarefas domésticas é uma prática saudável para a relação do casal.

Esse tipo de preconceito ainda é muito comum no Brasil também. Nos restaurantes existe uma rivalidade implícita entre os trabalhadores da cozinha com os que trabalham no atendimento direto ao cliente. No "imaginário cultural" dessa categoria, todo cozinheiro é homossexual e, por incrível que possa parecer, já ouvi de muitos clientes a mesma afirmação.
Postar um comentário