9 de out de 2015

As misteriosas curiosidades da festa de 55 anos do Gama

A entrada é franca mas cobram ingressos para
"camarote vibe" / foto divulgação
Começou a Festa de Aniversário do Gama no estacionamento do estádio Bezerrão

Do Gama
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

Uma empresa produtora de eventos organizou toda estrutura para a comemoração dos 55 anos de aniversário do Gama, visto que este ano o Governo do Distrito Federal, GDF, alegou não ter dinheiro para bancar a festa, como foi feito em anos anteriores.

O evento está sendo chamado pelos organizadores de a Festa de Aniversário do Gama e está sendo realizada no estacionamento do Estádio Bezerrão. A festa começou na noite desta quinta-feira (8), com a apresentação do sambista Péricles e deverá se estender até a próxima segunda-feira (12), data da fundação da cidade. Entre os artistas convidados para apresentarem-se ao longo dos 5 dias do evento, foram anunciadas várias duplas sertanejas, entre elas, Israel e Rodolffo, Duda e Gabriel, Rick e Rangel, entre outras.

A festa deste ano está envolta de pequenas e misteriosas curiosidades. A primeira delas é o fato de que a administradora da cidade está recebendo os créditos da realização do evento, em vários grupos do WattsApp e nas redes sociais, o que chega a ser hilário. A pergunta que não quer calar: como um gestor público pode ser parabenizado pela realização de um evento promovido por uma empresa privada, com recursos próprios e que não recebeu nenhum centavo do governo?

Curiosamente também, segundo informações de músicos da cidade, os organizadores convidaram os artistas locais para se apresentarem na praça de alimentação do evento, fora da área do "camarote vibe", com o pagamento de uma "ajuda de custo" no valor de R$ 200,00 individualmente e de R$ 500,00 para bandas, sob a alegação de que os organizadores não dispõem de verbas para o pagamento de cachê. Ao que parece os organizadores aprenderam bem a lição com o governo, no quesito de dar desculpa esfarrapada.

Outra curiosidade observada ontem foi o fato da Administração Regional do Gama ter concedido inúmeras autorizações para pessoas comercializarem roupas, livros e até a uma grande loja de colchões, sem falar em uma grande churrascaria, que não é do Gama, que está comercializando costelão bovino no fogo de chão, descaracterizando o sentido da festa que, em anos anteriores, abria espaço para comerciantes da cidade e para exposição agropecuária.

E as misteriosas curiosidades não acabam, no material de divulgação do evento existe a informação de que a entrada é franca mas, há cerca de 30m do palco, existe uma grade impedindo o acesso para quem quiser ficar mais próximo do palco, exceto  para quem comprar o ingresso para o "camarote vibe" que fica após a grade, ao preço de R$ 30,00 para os homens e R$ 20,00 para as mulheres, sem direito a nada, tudo o que for consumido será pago à parte.

Ainda falando em preços, a Festa de Aniversário do Gama parece estar mesmo inflacionada. Uma latinha de cerveja Antarctica (única opção) de 260ml, popularmente conhecida por "piriguete", está sendo vendida ao preço de R$ 5,00; refrigerante em lata R$ 4,00; água mineral R$ 3,00; Ice Birinight R$ 10,00 e a latinha de energético está custando R$ 8,00. E a última das misteriosas curiosidades é que o depósito de bebidas que está comercializando as mesmas no evento, não é do Gama. Eles montaram barraquinhas de ferro em vários pontos do estacionamento e contrataram homens e mulheres para venderem as bebidas, sem nenhum vínculo empregatício e nenhum direito trabalhista foi observado, essas pessoas receberão como pagamento, 10% de tudo que venderem, segundo me informou uma das vendedoras que não quis ser identificada. Imagino que deveria ser dever do Estado, quando fornece autorização para ocupação temporária de área pública, garantir que todos os direitos dos trabalhadores que atuarão no local sejam preservados, bem como as condições de salubridade e segurança. Basta ir ao local e observar que o empregador não está agindo de acordo com o que determina a Legislação.

Lamentamos mais essa omissão do governo que, com o discurso do "pires na mão", deixa de realizar uma tradicional festa na cidade, cedendo para a iniciativa privada a produção, realização e a arrecadação dos lucros, o que já está se tornando comum para este governo que está comprometido com as políticas neoliberais.

Parabéns ao Gama!


Cerca separando o público do "camarote vibe"
Venda de colchões

Postar um comentário