15 de fev de 2016

Caiado “rouba, mente e trai” será punido?

Por Altamiro Borges em seu Blog

No final de março, o ex-senador Demóstenes Torres – o “mosqueteiro da ética” da revista Veja que foi cassado devido a seus estreitos vínculos com o mafioso Carlinhos Cachoeira – fez duras denúncias contra o seu ex-colega do DEM de Goiás, o senador Ronaldo Caiado. Entre outros petardos, afirmou que o histérico líder dos ruralistas “rouba, mente e trai” e garantiu que suas campanhas foram financiadas pelo mafioso contraventor. A mídia venal, que adora promover a escandalização da política e ama bajular os falsos moralistas, simplesmente sumiu com as denúncias. Nada de manchetes, chamadas de capa ou reportagens sensacionalistas. O Judiciário também fez um silêncio ensurdecedor. E no Congresso Nacional, nenhum parlamentar tratou da explosiva denúncia.

Segundo Demóstenes Torres, em artigo publicado no jornal goiano Diário da Manhã em 31 de março, Ronaldo Caiado foi financiado pelo mafioso em todas as campanhas em que disputou vaga na Câmara Federal. Num dos trechos, o demo cassado por corrupção garante que “Ronaldo fazia, sim, parte da rede de amigos de Carlos Cachoeira. Era, inclusive, médico de seu filho. Mas não era só de amizade que se nutria Ronaldo Caiado, peguem as contas de seus gastos gráficos, aéreos e de pessoal, notadamente nas campanhas de 2002, 2006 e 2010, que qualquer um verá as impressões digitais do anjo caído. Siga o dinheiro”. Em outro trecho, ele ainda atira para matar no presidente nacional do DEM, Agripino Maia, afirmando que ele também foi bancado pelo “esquema goiano”.

O tiroteio entre os jagunços não cessa por aí. Demóstenes Torres também afirma que “Ronaldo Caiado é chefe de um dos mais nocivos vagabundos de Goiás, o delegado de polícia civil aposentado Eurípedes Barsanulfo, que era o melhor amigo de Deuselino Valadares, delegado de polícia federal que fez um 'relato', segundo Carta Capital, onde me acusava de ser beneficiário do jogo do bicho... No final do ano passado, o jornal Diário da Manhã publicou matéria assinada em que acusa o dito delegado de ter forjado o documento a mando de um seu chefe político. Quem era ele? Ronaldo Caiado, todos sabem. Aliás, Eurípedes Barsanulfo, este sim, era prócer das máquinas caça-níqueis em Goiás. Ronaldo uma vez, inclusive, me pediu para interferir junto a Carlos Cachoeira para ampliar a atividade de Eurípedes no jogo ilícito”.

Após garantir que o estridente líder dos demos “rouba, mente e trai”, o “mosqueteiro da ética” da Veja ainda ameaça: “Me deixe em paz, senador. Continue despontando para o anonimato. É o seu destino. Não me move mais interesses políticos. Considero vermes iguais a você Marconi Perillo e Iris Rezende. Toque sua vida, se fizer troça comigo novamente não o pouparei. Continue fingindo que é inocente e lembre-se que não está na sarjeta porque eu não tenho vocação para delator”. Diante das graves acusações, fica a pergunta: alguém vai apurar as denúncias de Demóstenes Torres? Ronaldo Caiado será investigado e, caso confirmadas as acusações, será julgado e punido? Ou a Justiça e a mídia nativa continuarão poupando o milionário ruralista e famoso vestal da ética?
Postar um comentário