1 de fev de 2016

Deputado quer exoneração do administrador de Planaltina

REPRODUÇÃO
O distrital Chico Vigilante (PT) acusa Vicente Salgueiro de abuso de autoridade. 

Por Manoela Alcântara

O administrador teria dado voz de prisão a um segurança que impediu a entrada dele pela entrada exclusiva para ambulâncias no Hospital Regional de Planaltina

O deputado distrital Chico Vigilante (PT) vai pedir a exoneração do administrador de Planaltina, Vicente Salgueiro (foto), sob alegação de abuso de autoridade. Segundo o parlamentar, Salgueiro teria dado voz de prisão a um segurança do Hospital Regional de Planaltina, no último sábado (23/1), depois de ser impedido de entrar na unidade pela porta exclusiva para ambulâncias. O pedido será entregue ao governador Rodrigo Rollemberg na terça-feira (26/1).

Segundo o vigia, o administrador estaria na unidade para tentar transferir um conhecido para um leito de UTI. “O segurança agiu corretamente. O administrador de Planaltina deveria entrar pela porta principal, como qualquer cidadão. Além disso, a transferência de pacientes é de responsabilidade da Central de Regularização, da Secretaria de Saúde. Quem é ele para passar alguém na frente? E a situação de quem não tem amigos, como fica?”, questionou o deputado. Segundo o distrital, o Sindicato dos Vigilantes também entrará com uma representação.

Na Administração Regional de Planaltina, a versão é outra. “O administrador foi solicitado por um popular e foi buscar informações no hospital se existia a possibilidade de transferência. Chegando lá, o segurança não o deixou entrar, o injuriou e não indicou qual portaria seria a adequada”, afirmou o gestor administrativo do órgão, José Neto. Ele nega a versão sobre o pedido de prisão.

Além de administrador, Vicente Salgueiro é policial civil, formado em direito e em geografia. Ele assumiu a administração por indicação do deputado distrital Agaciel Maia (PTC).

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde informou que “a direção da unidade apura as circunstâncias em que o fato aconteceu. Diante dos dados, serão tomadas as providências cabíveis junto à Superintendência da Regional de Saúde”.
Postar um comentário