2 de fev de 2016

Folha de SP economiza até no papel higiênico dos funcionários

Divulgação
Alegando "crise" Folha de São Paulo demite jornalistas e economiza até no papel higiênico dos funcionários

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

A alegada "crise" no mercado de comunicação continua fazendo vítimas nas redações dos jornais, rádios e canais de TV. Desta vez a notícia vem do jornal Folha de São Paulo, que anunciou nesta terça-feira (2) uma série de demissões.

Está circulando nas redes sociais que o jornal demitirá pelo menos 1 jornalista de cada editoria e os escolhidos serão os mais experientes. Na semana passada o grupo já havia demitido 3 repórteres do Agora.

Comenta-se que a Folha vem reduzindo custos desde o início deste ano, quando passou a cobrar pelo café servido nas máquinas instaladas nas salas dos jornalista e até reduzindo a quantidade de papel higiênico nos banheiros, causando transtorno e constrangimento aos usuários.

A maioria dos meios de comunicação oferece uma espécie de comissão aos funcionários, que é chamada de Participação nos Lucros e Resultados, PLR, que é paga uma vez por ano. A PLR tem origens remotas, provém de antes da Revolução Industrial e no Brasil, trata-se de estatuto recente, que apenas teve seu aspecto atual moldada pela Constituição Federal de 1988, tendo sido regulamentado por normatividade infra-constitucional apenas no ano 2000. 

Ela funciona como um bônus, que é ofertado pelo empregador e negociado com uma comissão de trabalhadores da empresa de acordo com o resultado (LUCRO) da empresa que este trabalha. 

Este ano o jornal parcelou a PLR em 2 vezes, a primeira foi paga no mês passado e a próxima foi agendada para o próximo mês de junho.

Em 2015 várias empresas demitiram funcionários todos os meses, entretanto, o mês de abril foi o mais crítico, confira:

  •  Veja encerra as atividades da Veja Brasília e Veja BH no impresso. Uma média de quarenta profissionais são desligados.
  • Após 22 anos, Folha de S.Paulo encerra a publicação da coluna de automobilismo de sua versão impressa.
  • Após 14 anos, Estadão anuncia fim da coluna de Arnaldo Jabor.
  • Estadão inicia processo de demissões. Cortes atingem 120 funcionários, entre eles quarenta jornalistas. Caderno de “Esportes” chega ao fim e tem circulação apenas aos domingos.
  • Band extingue edições locais do “Brasil Urgente” e reduz departamento esportivo.
  • Jornal O Sul, da Rede Pampa de Comunicação, anuncia o fim da versão impressa.
  • Folha de S.Paulo inicia demissões, 25 profissionais são afastados. Suplementos são descontinuados e incorporados a outros cadernos.
  • Jovem Pan demite os jornalistas Anchieta Filho, Claudio Carsughi e Roberto Muller.
  • SBT encerra o telejornal “Notícias da Manhã” e demite 46 funcionários.
  • Imprensa Livre, único jornal do litoral de SP, encerra atividades e 22 profissionais são desligados.
  • Band demite três editores do programa “Café com Jornal”.
  • Agora São Paulo desliga sete funcionários.
Com informações portalimprensa
Postar um comentário