25 de mar de 2016

Flávio combate e Sarney dá o “golpe”

Depois que o ex-presidente Lula procurou o velho oligarca José Sarney em busca de apoio para barrar o impeachment na Câmara Federal, muita gente achou foi bem feito para Flávio Dino e o PC do B, que pagaram o preço do desgaste na opinião pública formada pelo movimento manipulado da maré, por defender o governo Dilma, enquanto o ex-senador que não deu um pio é quem é chamado para salvar a lavoura.

Não passa de uma tolice e ignorância política reduzir a campanha que o governador do Maranhão faz pela Legalidade e a Democracia à uma questão retórica para evitar que a presidente e o ex-metalúrgico respondam pelas acusações de corrupção.

E pior é dizer, por falta de argumento, que o seu ato em defesa do estado de direito deve-se apenas à sua condição de aliado e as benesses que como tal possam ser adquiridas.

É aí a grande diferença de Flávio Dino.

Em primeiro lugar, a sua aliança com a esquerda é ideológica no enfrentamento às desigualdades sociais, e não fisiológica na qual as ações políticas são tomadas em troca de favores.

Em segundo, não é porque o PT de Lula interveio no Maranhão em 2010 para garantir a vitória de Roseana Sarney contra a sua candidatura, que ele iria apoiar as arbitrariedades da Justiça para dar ares de legalidade às manobras da grande mídia – que representa os interesses do grande capital – em injetar na sociedade o sentimento de ódio contra o PT e derrubar um governo legitimamente eleito.

No mais, a história prova que o desenvolvimento do Maranhão não depende do entendimento de Sarney e Lula, que garante apenas ministérios e cargos federais no estado como forma de manter o poder político, sem que signifique qualquer mudança na qualidade de vida da população.

Fonte: Blog do Raimundo Garrone

Postar um comentário