5 de abr de 2016

Comida de má qualidade no Restaurante Comunitário do Gama

Foto Joaquim Dantas/Arquivo
Foto Joaquim Dantas/Arquivo
Mudança da empresa que administra o Restaurante Comunitário do Gama, tem causado transtornos aos usuários

Do Gama
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

Embora tenha resolvido um antigo problema que atormentava os frequentadores do Restaurante Comunitário do Gama, a invasão de pombos na hora do almoço, a empresa que passou a administrar o restaurante popular da cidade este ano, tem causado inúmeros transtornos aos frequentadores do local.

Um dos principais transtornos causado, ao que parece, pela falta organização da empresa, é a falta de um ou mais itens durante o atendimento ao público, o que ocasiona uma imensa fila que atrapalha a volta ao trabalho ou à escola da inúmeros estudantes e trabalhadores que frequentam a unidade. Este fato não é pontual, acontece com frequência, como foi o caso nesta segunda e terça-feira (4 e 5).

Segundo o artista plástico do Gama, Mário Salluz, hoje inúmeras pessoas reclamaram, o que acontece recorrentemente, da má qualidade da alimentação. O frango servido no almoço, segundo Mário, estava anunciado hoje no cardápio como "frango assado", entretanto, estava tão duro que não foi possível consumir o produto, fato que gerou uma reclamação generalizada.

A quantidade de sal na feijoada, que é servida às sextas-feiras, também é outro problema que parece estar longe de ser resolvido, porque se repete toda semana, segundo informação de inúmeras pessoas. O que me faz crer que essas reclamações sejam verdadeiras é o fato de eu ter ido ao restaurante no mês de fevereiro e ter constatado que a feijoada estava muito salgada, retornei na última sexta-feira (1) e não consegui comer nem 20% do almoço, de tão salgada que estava a iguaria.

Além do usuário estar pagando mais caro pela refeição e deixar a população insatisfeita, a péssima prestação de serviço que essa empresa vem oferecendo a quem vai almoçar no restaurante, tem provocado outro fato que é muito mais grave, o desperdício de alimento. É comum perceber na devolução das bandejas uma grande quantidade de alimento que não foi consumido, principalmente, pelos motivos aqui colocados.

A falta de respeito do GDF com a população, que paga o preço total da alimentação e os salários de quem deveria fiscalizar essa empresa, já superou todos os limites. Se já foi dada à empresa todas as condições de melhorar o serviço, mas continua ruim, que o governo troque a empresa!
Postar um comentário