27 de fev de 2017

Caetano, Pelourinho, Bahia e “Fora, Temer”


Deve ter sido inesquecível a noite com Caetano no Pelourinho. Se você conhece o Pelourinho, deve imaginar.

Só acho que a mídia de esquerda deve se preocupar em ser fiel ao que acontece, porque falsear as informações não é legal. Nós, do lado de cá, não estamos a reclamar o tempo todo que a mídia golpista faz isso? Caetano não gritou "Fora, Temer" no Pelourinho (se alguém puder me desmentir, por favor desminta).

Dito isso, parto para a questão: Caetano deveria ter gritado "Fora, Temer", reverberando o coro da massa no Pelourinho? Ou a presença desse senhor de 74 anos cantando Alegria, Alegria basta, como um catalisador, um agregador de forças (eu diria espirituais) de um Brasil ainda possível? Caetano não pronunciou a frase "Fora, Temer". Mas Caetano não estava lá para isso. Ele estava lá para agregar, para que o povo gritasse no carnaval da Bahia.

Como eu adoro a Bahia, Salvador, os baianos e Caetano com sua canção e poesia, acho que basta a presença de Caetano no Pelourinho. Que imagem bonita! "Quem lê tanta notícia?" Ali e dali emana uma energia emblemática, simbólica, poderosa, que se fixa na mente da História.

Essa energia se espraia. Ela sai do Pelourinho e dali se espraia pelo país, como uma fagulha de eletricidade. Como na Tropicália. "A História é um carro alegre, cheio de um povo contente."

Do blog Fatos etc
Postar um comentário