5 de abr de 2017

Conselho de Ética condena Jean Willys

Foto Minervino Junior/CB/D.A.Press
Conselho de Ética condena Jean Willys por cuspir em Jair Bolsonaro

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados condenou na tarde desta quarta-feira (5), o deputado federal Jean Willys (PSol/RJ), à censura escrita por ter cuspido no também deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ).

O fato ocorreu em abril de 2016, na sessão em que foi aprovada a abertura de processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff.

O relator do processo contra Willys, deputado Ricardo Izar (PP/SP), deu parecer contrário à decisão, o que não foi acatado pelos seus pares, que condenaram o deputado carioca do PSol.

Em um primeiro momento, o relator pediu a suspensão do mandato de Willys por 4 meses, entretanto, antes da votação de hoje ele mudou a recomendação para que o deputado do PSol tivesse o mandato suspenso pelo prazo de 30 dias. 

Mesmo assim, seu parecer não foi acolhido. Ele teve 4 votos favoráveis e 9 contra.

Segundo a Agência Câmara "o processo administrativo contra Jean Wyllys foi proposto pela Mesa Diretora da Câmara (Representação 11/16), que pediu uma pena de seis meses de suspensão do mandato".

Jean Willys não compareceu à seção do Conselho que o condenou.

Willys cuspiu em Bolsonaro após ter sofrido ofensas homofóbicas do militar e do mesmo ter proferido a frase "tchau querida", expressão muito usada pelos parlamentares favoráveis a saída da presidenta petista. Willys vou contra a abertura do processo de impeachment de Dilma.

Os golpistas, ao que parece, vão "desenterrar" todos os processos contra os deputados do campo progressista e que fazem oposição ao governo ilegítimo de Michel Temer.

Com informações da Agência Câmara
Postar um comentário