28 de mar de 2015

GDF esculachando com a população do Gama

Parada de ônibus ao lado do Sesi, na quadra 1 do setor Norte, registro
feito as 08:30 h deste sábado (28)
foto Joaquim Dantas/Blog do Arretadinho
Aumento da criminalidade, cidade suja, Administração Regional em colapso e Transporte Público esquecido são alguns dos problemas que a cidade enfrenta

Do Gama
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

O Governo do Distrito Federal, GDF, faz da população do Gama "gato e sapato". A sua relação promíscua com o neoliberalismo tem deixado claro a falta de compromisso com os trabalhadores e a população em geral. A política adotada pelo governador Rodrigo Rollemberg, PS(D)B, em reduzir a mão de obra do GDF para uma suposta economia, tem deixado a cidade do Gama literalmente abandonada.

Criminalidade
Depois que o atual governo assumiu uma das primeiras coisas que a população percebeu foi o aumento da criminalidade no Gama. O policiamento ostensivo diminuiu significativamente e, consequentemente, a sensação de insegurança aumentou bastante. Só na noite da última quinta-Feira (26), o filho de um Policial Militar foi assassinado com seis tiros em um estacionamento da quadra 50 e um Policial Militar, que estava de folga e desarmado, levou quatro facadas numa tentativa de assalto no Bar do Azeitona na quadra 1 do setor Norte.

Pequenos furtos e assaltos aumentaram consideravelmente no setor Norte e em outras regiões da cidade, a maioria deles praticados por jovens, aparentemente menores, em bicicletas ou em veículos com outros comparsas. O que a população não entende é onde foram parar os policiais militares da cidade, se não estão nas ruas combatendo ou prevenindo a criminalidade, onde estarão?

Sujeira por todo canto
Se continuar do jeito que a coisa está, o Gama vai terminar virando um lixão à céu aberto. Os garis desapareceram e as ruas e paradas de ônibus estão imundas. Como se não bastasse isso, o caminhão coletor de lixo não tem horário certo para passar, as vezes passa pela manhã e na semana seguinte passa à tarde ou à noite. O resultado é que animais terminam fuçando os sacos de lixo que a população coloca na porta de casa e, com isso, espalham o lixo pela rua.

Os moradores da quadra 1 do setor Norte são os mais penalizados porque, por se tratar de uma das primeiras quadras construídas na cidade, as ruas internas são muito estreitas e os caminhões não circulam por elas. O morador é obrigado a se deslocar e colocar seu lixo nas esquinas das ruas principais, atraindo mais animais que fuçam e espalham mais lixo. Se os garis não estão nas ruas recolhendo o lixo, onde estarão?

Colapso na Administração Regional
O corte nas contratações de cargos comissionados, determinados pelo governador, deixou a Administração Regional literalmente de mãos amarradas. Os chamados serviços de campo não estão sendo realizados por absoluta falta de pessoal, até serviços internos estão se acumulando por este motivo. Há setores da Administração que começam a trabalhar as 7:30 h e, não raramente, terminam as 23:30 h. Segundo a Administradora, Professora Maria Antônia, o órgão precisaria de, no mínimo, mas trinta servidores para que pudesse oferecer um serviço público com um mínimo de qualidade.

A desculpa esfarrapada de economia de gastos com o corte de pessoal não convence ninguém, porque o governo está enchendo a burra da mídia com dinheiro público, para fazer propaganda enganosa. Se não fosse a aparente boa vontade do gestor público local e, até agora, uma boa dose de competência, a situação da cidade estaria pior. Recentemente Maria Antônia fez uma parceria com a população e realizou um mutirão de limpeza no Gama, o que é louvável como ação esporádica, até mesmo como uma forma de educação ambiental porém, inaceitável do ponto de vista do contribuinte, que o GDF penalizou com um percentual altíssimo no aumento de impostos no começo do ano, com casos de aumento de até 300% no Imposto Predial e Territorial Urbano, IPTU.

Horário de ônibus reduzido
A linha 218, que faz o percurso Gama Oeste - W3 Norte, via Setor de Indústrias Gráficas, SIG, para de circular aos sábados às 07:50 h e só volta às 14:15 h, conforme descreve o site do DFTrans. Quem necessite se deslocar ao SIG, Palácio do Buriti ou Torre de TV, está sendo obrigado a tomar duas conduções.

Outra ação do desgoverno Rollemberg foi o corte, quase que em sua totalidade, dos servidores do DFTrans nas estações do BRT da Rodoviária do Plano Piloto, Gama e Santa Maria. Na maior parte do dia percebe-se o sumiço desses servidores e quando tem, é apenas um. Eles ajudavam a organizar a fila de embarque e davam prioridade para os portadores de mobilidade reduzida. Segundo informações obtidas no posto do DFTrans da Rodoviário do Plano Piloto, o corte de pessoal e término das filas, deve-se ao fato de que o embarque no BRT é para ser feito semelhante ao que acontece com o embarque no Metrô, o que é uma irresponsabilidade, porque o BRT conta apenas com três portas e o Metrô tem muito mais. Nos horários de pico cerca de 400 pessoas se acotovelam para embarcar na Rodoviária do Plano Piloto, o que se transforma em um transtorno não só para os passageiros mas, principalmente, para os idosos e outros portadores de mobilidade reduzida, que não têm mais prioridade no embarque.

Se contarmos com os dois meses de governo de transição, já é quase meio ano que o GDF bate cabeça e não trabalha pela população. Já passou da hora de pegar no batente e começar a trabalhar.
Postar um comentário