28 de abr de 2015

Pastor pede que homossexuais sejam apedrejados

Um pastor de uma denominação Batista prega o apedrejamento dos homossexuais

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

O pastor David Berzins, da Igreja Batista Palavra da Verdade, no estado do Arizona, Estados Unidos, estimula os fiéis de sua igreja a seguirem o velho testamento, que sugere o apedrejamento do homem que se deitar com outro homem. David também fez duras críticas aos seus colegas de ofício que discordam de sua tese de que os gays devem ser assassinados, como afirmado em Deuteronômio, que gays precisam ser condenados à morte.

Um dos pastores que foram duramente criticados por Berzins, foi o pastor batista  King James que, além de discordar do apedrejamento de gays, se recusou a apoiar a campanha do pastor Steven Anderson, de extrema direita, para o assassinato de homossexuais.

“Eu gosto do cara. Ele é um cristão, ele está salvo, ele é um ganhador de almas, ele acredita em uma Bíblia King James, é de uma Igreja Batista. Ele acredita que a homossexualidade é maldade, e ele prega contra ela. Mas só que eles não acreditam que [os homossexuais] deveriam ser apedrejados, o que eu acho que é muito claro… Olha, Deus veio com as leis do Antigo Testamento! E se você acha que você sabe melhor sobre a forma de administrar um país do que Deus ordenou, você acha que suas leis são melhores…”, afirmou David Berzins.

Eu bem me recordo que até a eleição de Collor de Mello, o discurso nas igrejas do Brasil, por orientação de suas matrizes internacionais, era o de que "a autoridade constituída está lá pela vontade de Deus, o povo não deve se levantar contra quem o governante, deve orar por ele". Depois que eles perceberam a possibilidade de ter acesso ao poder, elegendo representantes para o legislativo a fim de que aprovassem leis que beneficiem os seus grupos de interesse, o discurso mudou.

Com a ascensão dos governos progressistas na América do Sul nas últimas décadas, a orientação das matrizes evangélicas internacionais foram para que as filiais endurecessem o discurso contra os avanços sociais, dando mais ênfase e destaque as perversidades bíblicas. Reacenderam e incentivaram a luta de classes quando ressuscitaram o velho testamento. Um exemplo disso é quando pregam em defesa dos assuntos financeiros. A cobrança de juros é proibida. As ordens se repetem por toda a Bíblia, sempre em tom firme: “Não tomarás deles juros nem ganho” (Levítico). [...] Mas existe uma exceção: nos casos em que o empréstimo é concedido a um não judeu (“um estranho”, nas palavras de Deuteronômio) é permitido praticar a usura. Até por isso os judeus se tornaram os grandes banqueiros da Idade Média. 

Se o Livro Sagrado proíbe a cobrança de juros, mas só entre judeus, o mesmo vale para a escravidão. Você pode ter escravos, contanto que “sejam das nações que estão ao redor de vós; deles comprareis escravos e escravas”, diz o Levítico.  “Ao estranho, emprestarás com juros.” (Deuteronômio 23:20) 

Agora eles acendem a fogueira da intolerância aos homossexuais, baseando-se no que diz o velho testamento que prega que o amor entre homens deve punido com a morte — a não ser que você fosse o rei Davi. 

Os livros Samuel I e Samuel II contam a história da amizade entre ele e Jonatã, filho do rei Saul, antecessor de Davi e candidato natural ao trono de Israel. Davi acaba escolhido para a sucessão, mas isso não abala o relacionamento dos dois. Está escrito: “A alma de Jonatã se ligou com a alma de Davi. E Jonatã o amou, como à sua própria alma” (Samuel I). 

Em outra passagem, Jonatã tira todas as roupas, entrega a Davi e se deita com ele. “E inclinou-se três vezes, e beijaram-se um ao outro” (Samuel I). “Esse relato incomoda os intérpretes tradicionais da Bíblia, que tentam explicar a relação como uma forte amizade, e o beijo como um costume comum entre homens”, diz o historiador finlandês Martii Nissinem, da Universidade de Helsinki e autor de Homoeroticism in the Biblical World (Homoerotismo no Mundo Bíblico). “Mas é difícil negar a referência à homossexualidade nesse caso, mesmo que a lei judaica a proíba expressamente.” 

Para alguns especialistas, o Antigo Testamento também sugere um relacionamento homossexual entre duas mulheres, Noemi e sua nora Rute. Está no livro de Rute um trecho em que ela diz a Noemi: “Aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu. Onde quer que morreres morrerei eu, e ali serei sepultada”. 

“Estou angustiado por causa de ti, Jonatã. Mais maravilhoso me era teu amor do que o amor das mulheres.” (Samuel II 1, 26). 

As perversidades bíblicas estão por todo o livro. Os cristãos mais moderados gostam de pregar Levítico 18:22 contra a homossexualidade, "com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação". Mas os fundamentalistas como Berzins, fazem questão de resgatar outro versículo no mesmo livro que diz a punição para tal ato, Levítico 20:13, "se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável; serão mortos; o seu sangue cairá sobre eles".

Como se vê, desde que foram escritos, o velho e o novo testamento, são manipulados conforme os interesses dos perversos de plantão

Confira o vídeo:

Postar um comentário