15 de set de 2015

Aluno é assassinado em escola na Ceilândia

foto Júlio Campos
Com a retirada do Batalhão Escolar das escolas, aumentam os crimes em todo o DF

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

Um rapaz foi assassinado à facadas dentro da sala de aula, em uma escola da Ceilândia, na noite desta segunda-feira (14), o crime foi cometido por outro aluno que entrou na escola armado. A vítima foi identificada como Danilo Roger e tinha 17 anos.

Segundo informações dos alunos o crime foi motivado após uma discussão por causa de uma brincadeira com bolinhas de papel. O suspeito, um aluno de 16 anos, foi detido logo após a Polícia Militar ter sido acionada e encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente. O SAMU também foi acionado mas a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Segundo informações do professor Júlio Campos o Batalhão Escolar do Distrito Federal está sendo deslocado para fazer patrulhamento de rua, inclusive nos finais de semana, sem receberem a remuneração adicional que teriam direito.

Segundo Júlio "durante a festa do Morango vários policiais e até mesmo as viaturas do Batalhão Escolar foram deslocadas para Brazlândia", disse ele em um grupo do WatsApp. E continuou o seu relato afirmando que "eles estão sendo inclusive obrigados a tirarem serviço nos finais de semana e feriados sem ganharem hora extra. O Batalhão Escolar está trabalhando em situação precária, usam os celulares pessoais, pois não tem rádios, os motoqueiros dão manutenção nas com parte de seu salários. Nos últimos 03 concursos, nenhum policial foi direcionado para o Batalhão Escolar. São cerca de 400 homens para mais de 1200 instituições de ensino (Públicas e Privadas). Precisariam de no mínimo 3600 homens. E ainda desviam o efetivo para outras ações, até para derrubada de construções irregulares eles estão sendo enviados". Desabafou o professor.

O que podemos dar como certo é que, com a retirada do Batalhão Escolar das escolas do DF, crimes brutais como esse poderão se multiplicar todos os dias nas salas de aula.

Postar um comentário