18 de dez de 2015

Boato sobre espiões cubanos no Mais Médicos

O Mais Médicos tornou-se um caso de sucesso para resolver a falta de profissionais na atenção básica. 
Porém, algumas pessoas discordam tão radicalmente do programa que espalham boatos de que existem espiões do governo de Cuba entre os médicos.

É uma grande mentira a existência de espiões cubanos no programa Mais Médicos, que foi criado para levar saúde aos brasileiros, em especial aos mais pobres. 

Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil tem somente 1,8 médico para cada mil habitantes. Para se ter uma ideia do quanto esse número é reduzido, nossa vizinha Argentina tem 3,2 profissionais para cada mil habitantes. No Uruguai são 3,7; em Portugal, 3,9; e na Espanha, 4,0.

Para enfrentar esse problema, muitos países têm adotado como solução a contratação de médicos de outros países. Para alcançar a meta estipulada de 2,7 médicos por mil habitantes, o Brasil seguiu o exemplo de outros 60 países do mundo e assinou um acordo para receber médicos cubanos. 

A chegada de médicos estrangeiros ao Brasil é, portanto, uma forma rápida e eficiente usada mundialmente para suprir a demanda por atendimento médico. Entretanto, mesmo ciente da importância dos profissionais cubanos, o Mais Médicos prioriza os brasileiros. Com a expansão do programa, em 2015, 100% das mais de 4 mil vagas foram preenchidas com médicos brasileiros.

O programa também investe na formação de novos médicos no Brasil para que no futuro não seja necessário mais trazer médicos de outros países. Em dois anos, foram criadas 5,3 mil novas vagas de graduação. A meta do programa é alcançar a marca de 11,5 mil novas vagas de graduação e elevar a relação de vagas por 10 mil habitantes de 0,95 em 2013 para 1,34 em 2017.

A única tarefa dos médicos cubanos é levar saúde de qualidade aos brasileiros. Se quiser saber outras informações sobre o Mais Médicos, clique aqui.

fonte www.brasil.gov.br
Postar um comentário