22 de fev de 2016

Codisburgo, a cidade de Guimarães Rosa

A cidade de Codisburgo, em Minas Gerais, passou a ser conhecida mundialmente por ter Guimarães Rosa como o seu mais ilustre filho

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

A composição do nome Cordisburgo é mistura das palavras Cordis, que do latim significa Coração e Burgo, que do alemão significa cidade, ou seja "Cidade do Coração". Assim começa a história de Codisburgo, cidade natal do escritor Guimarães Rosa, autor de obras como Grande Sertões Veredas e Miguilim Inacabado. A cidade faz limites com Paraopeba, Araçaí, Santana de Pirapama e Curvelo, em Minas Gerais.

A população estimada da cidade em julho de 2015 era de 8 998 habitantes, sendo composta por 51,17% de homens e 48,83% de mulheres. A população urbana correspondia a 68,78% da população total, enquanto a rural representava 31,22%  dos habitantes totais. A esperança de vida era de 72,2 anos, a mortalidade infantil (por mil nascidos vivos) era de 20,1 e a taxa de fecundidade era de 1,8 filhos por mulher, segundo dados do PNUD de 2010.

História
Em meados de 1883, o padre João de Santo Antônio chegou na região conhecida como Sesmaria Empoeiras (algumas fontes citam o nome Arraial do Saco dos Cochos) e, por se tratar de um lugar com paisagens exuberantes e clima agradável, o padre logo a denominou de “Vista Alegre”, decidindo, assim, se estabelecer no local.

Para fundar o povoado, necessitava obter a posse de uma área que se encontrava em litígio. Para tanto, contou com a influência de Dona Policena Mascarenhas, uma senhora de posses, que, vendo a Sesmaria Empoeiras ir à praça pública, mandou seu filho Bernardo Mascarenhas arrematá-la em nome do “Irmão João”, cedendo 40 alqueires como patrimônio da igreja. A sesmaria pertencia à região do extinto Vínculo da Jaguara.

É certo que, nessa região, o padre João deu início à fundação do povoado de Vista Alegre, em 21 de agosto de 1883, edificando a capela ao patriarca São José. O levantamento dos esteios se deu em 14 de fevereiro de 1884, tendo sido concluída a capela em 23 de junho de 1884.

Em 14 de setembro do mesmo ano, a imagem do patriarca São José foi conduzida do Taboleiro Grande (hoje Paraopeba) para a capela pelo padre Pedro Corrêa Ferreira Rabelo e moradores dos arredores. Na mesma época, o padre João mandou vir da França uma imagem do Coração de Jesus. Quando chegou, uma procissão foi buscá-la em Gongo-Sôco e assim nasceu a idéia de construir-se um templo para acolhê-la. Portanto, em 8 de março de 1886, foi levantada a primeira linha do templo no Arraial de Vista Alegre, que começava a ser povoado, em torno da igreja, em terrenos que o padre distribuía gratuitamente para que as pessoas construíssem suas casas.

A igreja foi construída com a ajuda de donativos e foi concluída no dia 20 de maio de 1894. Nesse dia, houve uma bênção na igreja e o padre João trouxe em procissão a imagem do padroeiro que tinha vindo de Paris e aguardava, na Capelinha de São José, a construção de seu templo.

Em 9 de junho de 1890, um decreto do então governador de Minas, João Pinheiro da Silva, elevou o povoado de Coração de Jesus da Vista Alegre a distrito de Cordisburgo da Vista Alegre, município de Sete Lagoas. O padre João registrou o nome Cordisburgo em homenagem ao Sagrado Coração de Jesus, pois a etimologia vem do hibridismo cordis, do latim, que significa coração; e burgo, do alemão, que significa vila ou cidade.

O distrito foi incorporado ao município de Paraopeba, em 30 de agosto de 1911, sendo emancipado em 17 de dezembro de 1938, compreendendo os distritos sede Lagoa (Lagoa Bonita) e Traíras (Santana de Pirapama). Nessa época, já se chamava apenas Cordisburgo e, em 1948, perdeu o distrito de Santana de Pirapama e ficou subordinado à Comarca de Sete Lagoas.

Anos mais tarde, o padre doou o que tinha à Matriz do Sagrado Coração de Jesus e, em 18 de outubro de 1895, à diocese de Diamantina uma área de 40 alqueires de terra, que compreendia Cordisburgo e seus arredores. Depois voltou à Macaúbas, onde faleceu em 15 de setembro de 1913. Devido à precária condição física, a matriz foi demolida, sendo finalizada sua reconstrução em 24 de junho de 1960.

Associação dos Amigos do Museu Casa Guimarães Rosa e Grupo Estrelas do Sertão
Localização: Avenida Padre João, 749 – Próximo ao Museu Casa Guimarães Rosa – Centro – Cordisburgo/MG
Como chegar: Siga em frente na Rua São José, vire à direita na Rua Governador Valadares, vire à esquerda na Avenida Padre João, o destino está a 360 m, próximo ao Museu Casa Guimarães Rosa.

A Associação dos Amigos do Museu Casa Guimarães Rosa (AAMCGR), fundada em 1994, funciona como centro de convergência e referência cultural dos moradores de Cordisburgo. A entidade é proponente e parceira dos projetos desenvolvidos pelo Museu e responsável pela promoção da Semana Roseana, evento com programação cultural variada e gratuita, realizado na cidade desde 1988, nos meses de julho, em comemoração ao aniversário do escritor. A AAMCGR é, ainda, mantenedora da Biblioteca Pública “Riobaldo e Diadorim”, dos “Contadores de Estória Miguilim” e do Grupo da Melhor Idade “Estrelas do Sertão”, grupo este constituído por senhoras que se encontram regularmente para bordar, costurar e tecer. Juntas produzem colchas, painéis, paramentos de copa e cozinha e outras belíssimas peças de artesanato, comercializados com sucesso na sede da Associação. Os bordados são inspirados em imagens e trechos retirados da obra de seu conterrâneo ilustre e também de cenas relacionadas com suas próprias lembranças e vivências. Além do prazer do encontro, do pretexto para muita conversa e cantoria durante o trabalho, do orgulho de produzir objetos plenos de poesia e arte, elas ainda podem contar com uma pequena renda oriunda de seu talento.

Principais Eventos

Caminhada Eco-Literária
A caminhada Eco-literária é um evento que se realiza em Cordisburgo, tendo como principal objetivo mostrar aos visitantes os lugares reais que Guimarães Rosa se inspirou para escrever sua obra. A equipe idealizadora desta caminhada, Grupo “Caminhos do Sertão” é formada por ex-integrantes do Grupo Miguilim, por músicos e conhecedores da obra, sendo todos os componentes pessoas da comunidade Cordisburguense.

Geralmente esta caminhada tem o percurso em torno de 4 km por fazendas da região. Durante esse caminho são narrados trechos da obra Roseana que acabam levando as pessoas a se transportarem para o cenário real das estórias de Guimarães Rosa em sua terra natal.

A caminhada teve inicio em 1998 e partir daí o número de participantes têm aumentado consideravelmente, com a presença de universitários, professores, estudantes em geral e demais admiradores da obra.

Outro objetivo desse grupo é que a caminhada aconteça em todo sertão de Guimarães Rosa.
O nome do Grupo, “Caminhos do Sertão”, se deu devido ao fato desta equipe ser convidada para fazer “Caminhadas Eco-literárias” em outros vários lugares fora de Cordisburgo.
Segundo Guimarães Rosa, “o sertão é o mundo” e partindo desta ideia o grupo leva o sertão mundo afora.

Fica claro também o quê esse trabalho manifesta nas pessoas, conscientizando as mesmas da importância da conservação da região: cerrado, campos, chapadas, veredas e rios, através dos textos especialmente selecionados e narrados pelo Grupo “Caminhos do Sertão”.
Também fazem parte dos trabalhos apresentações teatrais.

São parceiros e incentivadores deste evento, o Museu Casa Guimarães Rosa, local onde o escritor nasceu e a Associação dos Amigos do Museu Casa Guimarães Rosa em Cordisburgo. 

Semana Roseana
Local do Evento:  Av. Padre João, próximo ao Museu Casa Guimarães Rosa.

Data de realização: Mês de Julho.

Responsável pela organização: Governo do Estado de Minas Gerais/Superintendência de Museus do Estado de Minas Gerais,  Associação dos Amigos do Museu Casa Guimarães Rosa, Museu Casa Guimarães Rosa, Academia Cordisburguense de Letras, Secretaria Municipal de Turismo, Ecologia e Meio Ambiente de Cordisburgo.

A Semana Roseana acontece há 20 anos em data próxima ao aniversário de nascimento do escritor João Guimarães Rosa, no mês de julho e atrai um turismo cultural significativo não apenas de outras regiões do Estado, como do país, além de reunir pesquisadores e estudiosos provenientes de centros acadêmicos, a exemplo da USP, UFMG, UFRJ, PUC-MG. O evento abrange diferentes atividades como oficinas literárias, de música, de artes plásticas (desenho, xilogravura), fotografia, palestras, apresentações teatrais, lançamento de livros, feira de artesanato, feira gastronômica e shows musicais. Também é realizada a caminhada eco-literária e a caminhada urbana, que percorre itinerário urbano e rural registrados por Rosa em sua literatura, como a antiga Estação Ferroviária, a própria casa onde vivia o escritor, hoje sede do Museu, a Capela de São José, fazendas e cidades vizinhas como Três Marias e Morro da Garça. Acompanhada por conhecedores locais da obra de Guimarães Rosa, Grupo Miguilim e pelo Grupo “Caminhos do Sertão”, a Caminhada permite aos participantes conhecer a paisagem do cerrado e a cultura do sertão perenizados na obra do escritor.


Festa do Divino Espírito Santo e Nossa Senhora do Rosário em Cordisburgo
Local do Evento:  Em frente à Capela de Nossa Senhora do Rosário - Praça Nossa Senhora do Rosário 

Festa do Divino Espírito Santo e Nossa Senhora do Rosário em Lagoa Bonita
Local do Evento:  Em frente à Capela de Nossa Senhora do Rosário - Praça da Capela - Distrito de Lagoa Bonita

Festa do Padroeiro Sagrado Coração de Jesus
Local do Evento:  Salão Paroquial – Largo da Igreja Matriz do Sagrado Coração de Jesus 

Com informações da Prefeitura Municipal

Postar um comentário