18 de fev de 2016

Escolas do DF aguardam doação de 300 computadores

Foto DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES
Escolas públicas do DF aguardam há mais de um ano doação de 300 computadores que deputados distritais não usam mais
Parlamentares aguardam momento oportuno para fazer as doações e que possam faturar, já que cada um poderá indicar a regional de ensino da cidade de sua preferência. Ou seja, que esteja localizada na sua base eleitoral

Por Ary Filgueira

Enquanto dezenas de laboratórios de informática das escolas públicas do Distrito Federal não funcionam por falta de equipamentos, cerca de 300 computadores estão guardados em uma sala no subsolo da Câmara Legislativa. O aspecto do lugar é de abandono. Os computadores estão sem qualquer tipo de proteção, inclusive contra poeira, o que pode danificá-los e torná-los inutilizáveis. Embora tenham feito o compromisso de doar o maquinário há mais de um ano, os distritais ainda não o fizeram.

Os parlamentares aguardam um momento oportuno para fazer as doações e que possam faturar, já que cada um poderá indicar a regional de ensino da cidade de sua preferência, ou seja, que esteja localizada na sua base eleitoral.

O capricho parlamentar tem provocado desperdício de dinheiro público. Desde setembro de 2014, as pilhas de gabinetes e monitores repousam em paletes (plataformas de madeira) sobre um chão sujo. O maquinário está no Setor de Patrimônio, que fica escondido entre as vagas dos carros das autoridades distritais, na garagem da sede do Legislativo local.
Os computadores que agora aguardam uma nova utilização foram substituídos por versões mais novas. Ao todo, foram adquiridos, em 11 de setembro de 2014, 540 computadores All-In-On da marca HP, modelo Eliteone 800. A compra custou R$ 2.424,600,00. Eles são modernos e acoplam, numa mesma máquina, o monitor e o gabinete, ocupando menos espaço nas repartições.

Segundo os servidores da Casa, a troca foi gradual e começou no fim de 2014. “Os equipamentos antigos estavam novinhos. Nem precisava trocá-los”, denunciou um funcionário que pediu para não ser identificado.

Divisão por lotes”
De acordo com o responsável pela Diretoria de Administração e Finanças, Genésio Vicente, os 300 computadores ainda não foram entregues à Secretaria de Educação porque a Mesa Diretora fará uma divisão por lotes, para que cada deputado possa doar os equipamentos à regional de ensino de sua preferência.

Após a reportagem de o Metrópoles procurar a Segunda Secretaria da Câmara para cobrar explicações sobre o motivo do atraso na entrega, a Mesa Diretora prometeu ler o ato da doação na terça-feira (16/2), durante a sessão no plenário. Mas não o fez.

A direção do Sindicado dos Professores no Distrito Federal (Sinpro) quer que os computadores sejam doados logo em virtude da carência na rede de ensino. A entidade lamenta a burocracia imposta pelos parlamentares e pede providências da Presidência da CLDF.

"Esses equipamentos são muito importantes para o aprendizado dos alunos. Isso que os deputados estão fazendo é um crime."
Jairo Mendonça, diretor do Sinpro
Doações são bem-vindas
A Secretaria de Educação explica que os espaços dos laboratórios de informática são bastante usados pelos estudantes para pesquisas. Para a pasta, as doações são bem-vindas às escolas. Atualmente, há 550 laboratórios nas 14 regionais de ensino. Deste total, 43 estão desativados.

Atualmente, a maior parte dos equipamentos utilizados vêm da parceria com o governo federal, por meio do Programa Nacional de Tecnologia Educacional (Proinfo).
Postar um comentário