19 de mar de 2016

STF empossa Cunha e cassa Lula


Por ARTUR SCAVONE no 247

É preciso evidenciar o absurdo político da situação que vivemos, enevoada pela ação articulada da mídia e do Duce Sergio Moro. Mas o verdadeiro Führer tem nome: Gilmar Mendes comanda a sua escolinha sem jamais ter perdido a presidência. Faz e desfaz do STF como melhor lhe apraz e atemoriza seus pares que, a exemplo de Celso de Mello, recolhem-se aos alfarrábios jurídicos para proclamarem - sempre entre quatro paredes - que a justiça é cega. De fato, cada vez mais a justiça no Brasil parece ser completamente cega porque não vê um dos seus operadores proclamando - nunca entre quatro paredes - suas diretrizes políticas para comandar um vergonhoso processo de construção da exceção nas instituições do país. 

Grampeia-se a Presidência, prende-se preventivamente quem deve ser forçado a delatar, vaza-se informações para a imprensa "simpática" (segundo o próprio Duce), segue-se a rota de um programa político que precisa desconstruir o legado mais importante da nossa história, o Brasil que olhou para seu povo pobre e excluído.

E agora, como se não bastassem todas as sucessivas ações que arrepiam a constituição - criticada pelos mais eminentes juristas do país - o STF (leia-se o Führer Gilmar Mendes) resolve proclamar que a Presidência exorbitou seus poderes ao nomear Lula ministro. Não importa sequer discutir aqui o mérito da sua decisão. Importa, mais que nada, nos darmos conta de que, enquanto o STF cassa Lula, o STF de Gilmar Mendes não move uma única pena dos seus ministros para cassar Eduardo
Cunha, o corrupto assumido do Congresso Nacional. O corrupto que descaradamente age para impedir sua própria cassação do alto do poder que lhe é atribuído. Esse já deveria ter sido preso, segundo as regras de atuação do Duce Sergio Moro. E cassado. Mas a justiça é cega, completamente cega. Só tem olhos para a Rede Globo.

Compete-lhes parar esse processo que irá macular toda a história recente, macular muito mais do que a escandalosa e antiga teia de corrupção que está sendo descoberta porque as ações desses últimos anos de governo deram ao Ministério Público e à PF liberdade de atuação e não permitiram que se engavetasse inquéritos, como fez FHC.

Basta! Os ministros do STF precisam perder seus pruridos alfarrábicos, desligar suas TVs e precisam, finalmente, se darem conta de que o país caminha para um Estado de exceção. Ou que proclamem que estão a favor do golpe.
Postar um comentário