20 de abr de 2016

Marcela Temer, a “quase-primeira-dama” e o golpe pelas beiradas

A vice-primeira-dama tem 32 anos, é casa há 13 com Michel Temer,
outra “qualidade” apontada pela Veja: primeiro e único namorado
Foto Reprodução
Marcela Temer é uma mulher de sorte porque tem um marido, um filho, e uma vida de comercial de margarina, segundo a revista Veja. 
Não fosse a “convulsão política que vive o país”, nada estaria fora do lugar no conto de fadas da vice-primeira-dama. Em reportagem publicada nesta segunda-feira (18), o semanário destaca as qualidades de “boa esposa”, “do lar” e “recatada” de Marcela, que aparentemente está pronta para subir um nível no jogo político onde quem dá as cartas são os golpistas. 

É difícil saber se o tom da matéria é mais machista ou mais golpista. No dia seguinte à votação favorável ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff, a revista Veja lança uma espécie de perfil da primeira-dama perfeita. Esta deve usar “vestidos até os joelhos”, ser “elegante”, “recatada”, dedicada “ao lar”, a “levar e trazer Michelzinho da escola” [filho de Marcela com o vice-presidente], entre outras “qualidades” da esposa de Temer, apontadas pela revista. 

Como recompensa, ela tem um marido atencioso mesmo sendo o vice-presidente. “Marcela Temer é uma mulher de sorte. Michel Temer, seu marido há treze anos, continua a lhe dar provas de que a paixão não arrefeceu com o tempo nem com a convulsão política que vive o país.”

Com o golpe em curso, a revista não se demorou em apresentar ao Brasil quem é chamada na matéria de “quase primeira-dama”. Afinal, já faz seis anos que o país não tem essa figura para as revistas femininas fazerem os clássicos comentários sobre o último figurino, a mudança no cabelo, ou a postura do bibelô que acompanha o presidente neste universo onde a política é dominada por homens, de preferência brancos e nada jovens, como bem vimos durante a votação do último domingo (17). 

Segundo a revista, “Marcela é o braço digital do vice”, porque constantemente o ajuda nas redes sociais e o mantém informado sobre “a temperatura ambiente”. Era de se esperar, afinal os aplicativos para celular com esta função são raríssimos, e uma esposa dedicada deve sempre prestar serviços meteorológicos, ainda mais se o marido estiver há um passo da Presidência da República. Não importa que ela seja bacharel em direito, não em meteorologia. 

Além disso, a vice-primeira-dama-perfeita acompanha os bastidores políticos, lê jornais, blogs de cientistas políticos e se mantém informada sobre temas relevantes da atualidade. Apesar do interesse político, Marcela “sempre chamou a atenção pela beleza, mas sempre foi recatada”. E no salão é “educadíssima”. 

Sem se preocupar em expor até mesmo os “apelidos carinhosos” do casal, a revista encerra a matéria dizendo que o vice-presidente também é um homem de sorte, afinal, não é todo dia que se encontra uma esposa jovem, loura, bonita, boa mãe, recatada e “do lar”. 

Do Portal Vermelho, Mariana Serafini

Postar um comentário