21 de jun de 2016

Onça é morta após solenidade olímpica no AM

Em Manaus, onça que participou do revezamento da Tocha Olímpica é morta com tiro de pistola.
De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

Ao que parece a falta de preparo e a desorganização dos órgãos que promoveram as solenidades da passagem da Tocha Olímpica em Manaus, capital do Amazonas, levaram à morte de uma onça pintada, conhecida como Juma, que participou do desfile.

O revezamento da Tocha Olímpica aconteceu na manhã desta segunda-feira (20), na capital amazonense, que contou com a participação do animal que estava sob a responsabilidade do zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva, CIGS, de onde o animal escapou após o desfile. 

 A informação da morte da onça foi confirmada no mesmo dia, através de nota enviada pelo Comando Militar da Amazônia, CMA. Segundo o Comando "no dia 20 de junho de 2016, no final da manhã, uma onça veio a escapar no interior do Zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva, CIGS, que no momento do ocorrido se encontrava fechado, vazio e em segurança".

O CMA informou ainda que o animal foi recapturado por veterinários que, mesmo após ter sidi atingido por tiros de tranquilizantes, avançou em direção a um dos militares que estava no local, motivando o tiro de pistola que matou o felino.

Para justificar o disparo de arma de fogo o CMA disse em nota que "como procedimento de segurança, visando proteger a integridade física do militar e da equipe de tratadores, foi realizado um tiro de pistola no animal, que matou Juma”.

Íntegra da nota do CMA:

NOTA À IMPRENSA
1. O Comando Militar da Amazônia (CMA) informa que, no dia 20 de junho de 2016, no final da manhã, uma onça veio a escapar no interior do Zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), que no momento do ocorrido se encontrava fechado, vazio e em segurança.

2. Uma equipe de militares composta de veterinários especializados no trato com o animal foi ao seu encontro para resgatá-la. O procedimento de captura foi realizado com disparo de tranquilizantes. O animal, mesmo atingido, deslocouse na direção de um militar que estava no local. Como procedimento de segurança, visando a proteger a integridade física do militar e da equipe de tratadores, foi realizado um tiro de pistola no animal, que veio a falecer.

3. O Comando do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) já determinou abertura de processo administrativo para apurar os fatos.

Atenciosamente,
SEÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO COMANDO MILITAR DA AMAZÔNIA
“A força do povo brasileiro defendendo a Amazônia”



Postar um comentário