10 de ago de 2016

Eu não troco meu oxente pelo OK de ninguém


por Oliveira de Panelas

Quem tiver da vodka orloff
Tome a garrafa todinha,
Que eu sou mais minha caninha
Com tripa de boi e bofe.
Essa de estrogonofe
Eu não sei nem de onde vem!
Gosto mais do meu xerém
Com carne assada bem quente,
Eu não troco o meu oxente
No OK de seu ninguém.

Isso de  mercy bou cour
É negócio pra francês!
Eu vou lá falar inglês
Pra dizer I love you!
Eu sou mais gosto de tu
Minha fogosa, meu bem!
Meu pro mode e meu que nem
Tem um ritmo diferente,
Eu não troco o meu oxente
No OK de seu ninguém.

Eu não troco meu sertão
Por cinco ou seis Hollywood
Nem pensem que Robin Hood
Vale mais que Lampião,
Sou muito mais Gonzagão
Tocando seu xenhenhém,
Aposto como He-man
Não sabe fazer repente,
Eu não troco o meu oxente
No OK de seu ninguém.

Não cantam com meu gogó
Michael Jackson e On The Block,
Vinte festivais de rock
Não “chega” aos pés de um forró!
Do caldo de mocotó
Viagra está muito além!
Whisky escocês não tem
Sabor de nossa aguardente,
Eu não troco o meu oxente
No OK de seu ninguém.

Não dou a minha sanfona...
Pela guitarra estrangeira;
Nota dez pra brasileira
Nota zero pra Madonna,
Madonna eu acho na zona
E Lady Gaga, também,
Iron Maiden,  quando vem
Não tem moléstia que agüente,
Eu não troco o meu oxente
No OK de seu ninguém.

                                
Postar um comentário