4 de ago de 2016

Olimpíada movimenta 76 bilhões na economia

Haverá 42 modalidades esportivas com 11.383 atletas de 208 países
Divulgação
Jogos olímpicos injetam R$ 76 bilhões na economia brasileira

Por: Marciele Brum 
No sítio PCdoB na Câmara

Expoentes do PCdoB, como o ex-ministro do Esporte, Orlando Silva, que tiveram protagonismo na viabilização do evento mundial no Brasil, apostam no aumento do padrão técnico olímpico e paraolímpico do país.

Antes mesmo de o mundo voltar a atenção para a coreografia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Brasil já contabiliza ganhos com o evento que vão além da conquista de medalhas. A largada oficial nas competições nesta sexta-feira (5), no Maracanã, estimulará uma movimentação econômica de R$ 76 bilhões, no momento em que o país busca superar grave crise.

Conforme estimativas do jornal Valor Econômico, desse total, R$ 46 bilhões representam impactos diretos, em que estão incluídos investimentos e gastos referente a obras de infraestrutura e legado olímpico, organização dos jogos, instalações olímpicas, visitantes, segurança, importações e outros investimentos e gastos privados. Indiretamente, serão gerados R$ 30 bilhões com consumo de produtos e insumos de fornecedores distribuídos em todo o território nacional, impactando na criação de postos de trabalho e geração de renda.

Então ministro do Esporte quando houve a confirmação do Brasil como sede em 2009, o deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) relembra que surgiram muitos desafios no processo de preparação das Olimpíadas deste ano. Outros líderes do PCdoB, como os ex-ministros do Esporte dos governos Lula e Dilma (Aldo Rebelo e Agnelo Queiroz), também participaram de várias etapas, desde a concepção do projeto até a realização das obras e contratação dos serviços. Ricardo Leyser ocupou a secretaria executiva e a interinidade do Ministério até maio deste ano. A 85 dias dos jogos, foi exonerado e deixou a pasta em razão do golpe em curso no país que colocou ilegalmente o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), no poder.

Para os comunistas que tiveram papel importante na construção desse projeto, o Rio 2016 não é o ponto de chegada, mas de partida para um outro modelo de desenvolvimento esportivo do país. “O evento projetará o Brasil internacionalmente e estimulará a indústria do turismo. Já garantiu a modernização da infraestrutura de transporte do Rio e dotou o Brasil de capacidade instalada em equipamentos, tecnologia e qualificação de profissionais”, destaca Orlando Silva.

Na avaliação do deputado paulistano, o Brasil terá ainda a elevação do padrão técnico do esporte olímpico e paraolímpico. A expectativa é que se potencializem resultados positivos, garantindo que o Brasil fique entre os 10 no ranking de medalhas. Esta é a primeira edição realizada na América do Sul e será acompanhada por 1 bilhão de telespectadores no mundo inteiro. Serão 11.383 atletas de 208 países, sendo pelo menos 465 brasileiros. É a maior delegação da história brasileira. Haverá a disputa de 42 modalidades Olímpicas. Em 19 dias de competição, 306 provas valem medalhas: 136 femininas, 161 masculinas e nove mistas. 
Postar um comentário