4 de abr de 2017

Professoras(es) em luta, sempre!

Aderir à política de medo do governador Rollemberg ou lutar?

Lutar!!!

por Professora Juliana de Freitas Nascimento

Se não resistirmos agora demonstrarmos fraqueza, desunião, não conquistaremos nada, ele vai sentir que terá legitimidade de nos tirar tudo. Coordenações, jornada ampliada, reduzir salário, Rollemberg trata a nossa categoria com desprezo, basta lembrar que muitos professores apoiaram sua candidatura e a sua resposta é nos tratar com repressão e descaso.

Não cumpriu a lei quanto a última parcela do reajuste salarial conquistado com 52 dias de greve em 2012, três anos sem auxílio-alimentação, auxílio-saúde insignificante, não pagamento de licenças-prêmios, descaso com aposentados, professores em regime de contrato temporário sem pagamento e tratados de forma diferenciada.

Quem se esquece de 2015, quando iniciamos o ano sem salários, escolas não construídas, outras caindo aos pedaços, sem reformas, salas superlotadas, condições precárias de trabalho?

Temos mais de 20 por cento de perda salarial, e quantos de nós estudamos anos, fizemos especializações, mestrados e doutorados e isso não repercute em nossos salários.

Quantos escolas sem professores por falta de contratação, escolas sem orientadores educacionais?

Quem está em ilegalidade é o governador Rollemberg, que deu calote em 32 categorias do GDF; que tem uma política privatista para todos os setores; que retirou recursos do IPREV (instituto de previdência dos servidores públicos do GDF) e não devolveu, e que agora será responsável pela sua previdência. Você acha que ele, o Rollemberg, amenizará, ou terá a mesma linha do projeto nacional em que o servidor vai morrer de trabalhar, contribuir a vida inteira e não usufruir da sua aposentadoria?

Governador que teve coragem de jogar polícia e prender os professores. Se formos levados pelo medo agora seremos rendidos, precisamos lutar, precisamos unir nossa categoria.

Nada é impossível de mudar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Postar um comentário