2 de ago de 2017

Os canalhas, vendidos, traíram o Brasil

Foto Jairo Mendonça
Com a decisão da Câmara dos Deputados de arquivar a denúncia contra Temer, os canalhas, vendidos,  traíram o Brasil mais uma vez

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

Com 263 votos favoráveis ao arquivamento da denúncia feita pel Procuradoria Geral da República, PGR, contra o presidente ilegítimo Michel Temer por corrupção passiva, assistimos  a um verdadeiro circo durante a votação na Câmara dos Deputados.

Entre as justificativas dadas pelos deputados que votaram SIM,  pelo arquivamento da denúncia, pudemos observar algumas pérolas:

"Por falta de consistência na denúncia voto SIM". Receber Joesley Batista, da JBS; no Palácio do Jaburu no começo da madrugada; que deu nome falso na portaria; que também confessou que "tinha um juiz do STF e um procurador na mão" del; que perguntou a Temer a quem entregaria a propina destinada a ele de R$ 500 mil por semana durante 20 anos; que ouviu de Temer que a propina deveria ser entregue a Rodrigo Rocha Loures, seu homem de confiança. Tudo filmado e gravado, não tem consistência?

"Voto SIM porque não devemos fazer o jogo do PT que quer fazer do Brasil uma Venezuela". 

"Sou contra a corrupção, mas acho que ele deve ser julgado ao final de seu mandato, voto SIM".

"Contra aqueles que apoiam Maduro, eu voto SIM".

"Pela estabilidade política do Brasil, voto SIM". Argumento semelhante foi utilizado para justificar o voto pelo impeachment da presidenta Dilma, quando afirmavam que, no dia seguinte a saída da presidenta, o Brasil viveria um mar de rosas.

"Tolerância zero com a corrupção, mas sou a favor do Estado Democrático de Direito. Voto SIM".

"Voto pela biografia sem máculas de Michel Temer, SIM".

"Pela estabilidade financeira, voto SIM". Só se for a do próprio deputado.

"Pelos trabalhadores e pelos aposentados. Pelas reformas Trabalhista e da Previdência, eu voto SIM". Como assim, pelos trabalhadores e aposentados?

E tantas outras aberrações dessa natureza que foram ditas nesta fatídica noite de terça-feira (2), só comprova que os canalhas nunca tiveram preocupação com o povo brasileiro e que legislam em causa própria.

E não há dúvidas de que isso é um fato concreto. Foi amplamente divulgado pela grande mídia de que o Palácio do Planalto foi transformado em um grande balcão de negócios, com liberação de milhões de Reais em emendas parlamentares e cargos no governo, em troca de apoio a Temer.
Manifestantes em frente ao Congresso Nacional
Foto Victor Frota

Às vésperas da votação na Câmara dos Deputados da denúncia de corrupção passiva contra Michel Temer (PMDB) e da possibilidade de autorizar um processo de investigação contra ele no Supremo Tribunal Federal (STF), que acontece nesta quarta-feira (2), o presidente golpista liberou uma Medida Provisória que favorece a bancada ruralista e, por consequência, fragiliza os direitos dos trabalhadores rurais. Atualmente, a Frente Parlamentar Agropecuária, reconhecida apoiadora de Temer, é uma das maiores na Câmara, com 207 deputados.

Nesta terça-feira (1), o governo publicou no Diário Oficial da União a MP que alivia as dívidas previdenciárias dos ruralistas, avaliadas no total de R$ 8 bilhões a R$ 10 bilhões em tributos atrasados para os cofres públicos. A medida também diminui quase pela metade o percentual da alíquota paga para o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural), passando de uma contribuição de 2,1% para 1,3%. Os valores incidem diretamente sobre a receita dos produtores.

Confira como votou a bancada do Distrito Federal:

Fraga – Sim
Augusto Carvalho – Não
Erica Kokay – Não
Izalci – Sim
Laerte Bessa – Sim
Rogério Rosso – Sim
Ronaldo Fonseca – Sim
Roney Nemer - ausente

Confira o resultado final da votação:

SIM: 263
NÃO: 227
ABSTENÇÕES: 2
AUSENTES: 19
TOTAL: 493

#ForaTemer

Com informações do Brasil de Fato.
Postar um comentário