3 de abr de 2015

Esportes em que o Brasil pode se destacar na Olimpíadas

Dez esportes em que o Brasil pode se destacar nos Jogos Olímpicos
A menos de 500 dias para as Olimpíadas, os atletas brasileiros se preparam para cumprir a missão de colocar o país entre os dez primeiros colocados do quadro de medalhas. Essa é a meta do Comitê Olímpico do Brasil (COB), que espera superar a marca de 22 medalhas conquistadas nos Jogos Londres 2012.

Alguns esportes - e o apoio da torcida - podem fazer a diferença para alavancar essa contagem. Confira abaixo dez modalidades em que o Brasil vem apresentando bons resultados e tem tudo para se destacar nos Jogos Rio 2016:

Atletismo
No esporte que oferece o maior número de medalhas nos Jogos Olímpicos, as chances de o Brasil ir ao pódio são grandes. As atenções estão voltadas para a campeã mundial e pan-americana Fabiana Murer (foto) no salto com vara; o bicampeão mundial indoor Mauro Vinícius da Silva, o Duda, no salto em distância; e Marilson dos Santos, quinto colocado em Londres 2012 na maratona e nas provas de revezamento 4x100m.

Futebol
O esporte mais popular do país ainda busca um título inédito - o ouro nos Jogos Olímpicos. E nada melhor do que conquistá-lo em casa, no Maracanã, diante da torcida brasileira. A equipe masculina, que deverá ser liderada pelo craque Neymar (foto), chegou perto em Los Angeles 1984, Seul 1988 e Londres 2012, quando ganhou a prata. O time feminino, que tem Marta como estrela, também alcançou a segunda posição em Atenas 2004 e Pequim 2008.

Ginástica
Arthur Zanetti (foto) conquistou o primeiro ouro da ginástica artística brasileira em Londres 2012, na prova das argolas. E o feito tem tudo para se repetir em 2016. O brasileiro vem mantendo bons resultados, com o ouro no campeonato mundial de 2013 e a prata em 2014. Diego Hypólito, dono de dois ouros no solo do campeonato mundial, e Sérgio Sasaki, primeiro brasileiro a chegar a uma final no individual geral nos Jogos Olímpicos, em Londres 2012, também são fortes candidatos ao pódio.

Handebol
A seleção feminina de handebol é a atual campeã mundial do esporte. Conquistou o título inédito em 2013 e espera manter a boa fase para superar a campanha dos Jogos Londres 2012, quando ficou em sexto lugar, sua melhor colocação na história. O time conta ainda com Alexandra Nascimento (na foto, ajoelhada) e Duda Amorim, eleitas as melhores jogadoras do mundo em 2012 e 2014, respectivamente.

Judô
O esporte que já deu 19 medalhas olímpicas ao Brasil tem grandes chances de superar a marca de Londres 2012, quando o país subiu ao pódio quatro vezes. Além de contar com a campeã Sarah Menezes e com os três medalhistas de bronze da última edição olímpica – Felipe Kitadai, Mayra Aguiar e Rafael Silva -, a equipe deposita suas fichas em Rafaela Silva (na foto, de quimono branco), primeira brasileira campeã mundial, e Tiago Camilo, dono de uma prata e um bronze olímpico.

Maratonas aquáticas
No feminino, o Brasil conta com duas das melhores nadadoras do mundo na prova olímpica de 10km - Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha, que conquistaram o ouro e a prata, respectivamente, no campeonato mundial de 2013, em Barcelona. Poliana levou também o bronze nas duas últimas edições dos Jogos Pan-Americanos, em 2007 e 2011. No masculino, o principal nome é Allan do Carmo, campeão da Copa do Mundo de 2014.

Natação
O esporte tem tradição de levar o Brasil ao pódio nos Jogos Olímpicos – até Londres 2012, foram 13 medalhas arrebatadas. No ano passado, os nadadores brasileiros se destacaram ao colocar o país no topo do quadro de medalhas do mundial de piscina curta com dez medalhas, sendo sete de ouro. Cesar Cielo (foto), campeão olímpico nos 50m livre em Pequim 2008, bronze em Londres 2012 e tricampeão mundial na mesma prova, é um dos grandes destaques.

Vela
É o esporte dos dois recordistas de medalhas olímpicas do país: Torben Grael e Robert Scheidt (foto), com cinco cada. Enquanto Grael é o técnico da equipe brasileira, Scheidt segue competindo na classe Laser e lutará por mais um pódio em 2016. Martine Grael e Kahena Kunze, campeãs mundiais na classe 49er Fx e eleitas as melhores velejadoras do mundo em 2014, também são esperanças de medalha, assim como Jorge Zarif, campeão mundial da classe Finn, e Ricardo Winicki, o Bimba, campeão mundial e bicampeão Pan-americano da classe RS:X.

Vôlei
Bicampeã olímpica, a seleção feminina pode atingir, nos Jogos Rio 2016, a marca de Cuba, conquistando o terceiro título seguido. A equipe é comandada por José Roberto Guimarães, técnico campeão olímpico com a seleção masculina em Barcelona 1992, e conta com as bicampeãs Sheilla, Fabiana e Jaqueline. No masculino, o time de Bernardinho chegou às últimas três finais dos Jogos Olímpicos - levou o ouro em Atenas 2004 e a prata em Pequim 2008 e Londres 2012.

Vôlei de praia
Desde a estreia do esporte nos Jogos, em Atlanta 1996, o vôlei de praia sempre trouxe medalhas para o Brasil – são 11 no total. E, nas areias de Copacabana, o país será mais uma vez favorito ao ouro. No masculino, Ricardo e Emanuel, campeões em Atenas 2004 e medalhistas de bronze em Pequim 2008, estarão em ação juntos novamente. No feminino, Juliana e Larissa, que conquistaram o bronze em Londres 2012 e o título mundial de 2011, vão jogar com novas parceiras - Juliana formará dupla com Maria Elisa e Larissa com Talita.

da EBC
Postar um comentário