9 de jun de 2015

Gerardo Hernández, um dos 5 cubanos, esteve em Brasília

Gerardo Hernández Nordelo
Gerardo Hernández, um dos 5 cubanos, esteve em Brasília e falou para auditório lotado
De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

Um dos cinco cubanos libertados em dezembro do ano passado pelo governo norte-americano, falou na noite desta segunda-feira (9) para um auditório lotado no Museu Nacional de Brasília. 

Gerardo Hernández Nordelo, que tinha sido condenado a duas prisões perpétuas e mais 15 anos pelo governo estadunidense, agradeceu a solidariedade do povo brasileiro nas diversas campanhas pela libertação dos cinco cubanos.

Hernándes fez um resumo dos 16 anos passados no cárcere nos EUA, dos muitos momentos difíceis que teve que enfrentar e do apoio que os cinco receberam de importantes setores da sociedade da América do Norte para a libertação deles. Ele afirmou ainda que o governo cubano há anos tem sido solidário com povos de diversos países, principalmente com o envio de milhares de médicos para todo o mundo, e que agora ele sente-se orgulhoso por ele e seus quatro companheiros terem recebido o apoio e a solidariedade dos brasileiros.

Gerardo disse que a luta não deve parar com a libertação dos cinco cubanos, como ficaram conhecidos mundialmente, que a luta agora versa pelo fim efetivo do bloqueio comandado pelos EUA à ilha e que ele tem certeza que poderá continuar contando com a solidadriedade dos brasileiros.

Inúmeras autoridades estrangeiras estiveram presentes ao evento, como e embaixador e o ministro da defesa do Equador. O Governo do Distrito Federal se fez representar pelo Chefe da Casa Civil, Hélio Doyle. Representantes do Partido Comunista do Brasil, PCdoB, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, MST e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, CTB, também estiveram presentes.

A recém eleita presidenta da União Nacional dos Estudantes, Carina Vitral, presenteou o herói cubano com uma bandeira da entidade.

"Los" 5, como são carinhosamente chamados em Cuba, foram infiltrados em organizações terroristas sediadas em Miami para impedir atentados contra Cuba. Acabaram presos e foram acusados por mais de 20 crimes, incluindo “conspiração para espionagem” e “conspiração para homicídio”. 

Em setembro de 2014, completaram 16 anos no cárcere. A Anistia Internacional, alega que não foram apresentadas provas que demonstrassem a real culpa dos acusados, além disso, a entidade também defende que os cubanos não tiveram pleno acesso à defesa, já que muitas das provas foram declaradas secretas, segundo as leis estadunidenses. 

Outro questionamento que se faz é quanto ao julgamento ter ocorrido em Miami, onde ocorreu uma forte pressão popular e midiática pela condenação dos cinco, impedindo assim que ocorresse de forma objetiva e imparcial.

Além de vídeos institucionais do governo de Cuba, de várias manifestações feitas pelo Brasil que pediam a libertação dos cinco, o grupo musical Sabor Cubano interpretou duas canções para homenagear Hernández.

Confira o que representa o bloqueio imposto pelos EUA aos cubanos:
  • 5 minutos de bloqueio equivalem a todo material necessário para construir uma casa de dois andares.
  • 2 horas de bloqueio equivalem a todas as máquinas de Braile de que precisam os cegos em Cuba.
  • 5 horas de bloqueio equivalem ao número anual de máquinas de diálise de que precisam todos os doentes de Cuba.
  • 6 horas de bloqueio equivalem a toda insulina anual necessária para todos os 32 mil pascientes do país.
  • 1 dia de bloqueio equivale a 139 ônibus urbanos.
  • 3 dias de bloqueio equivalem a todo o material escolar necessário ao país.

Postar um comentário