5 de jul de 2015

Recife está em estado de alerta por causa das chuvas

Fortes chuvas no Recife levaram o prefeito Geraldo Júlio (PSB) a decretar neste sábado (4) estado de alerta.
A chuvas acumulada nos últimos dez dias já ultrapassam 681,4 milímetros (mm), o dobro do previsto para junho. Somente nas últimas 24 horas, a Defesa Civil registrou volume de chuva de 118 mm, poucos dias após ter sido contabilizada a maior chuva dos últimos 29 anos, na última segunda (29), quando em apenas 24 horas choveu 228 mm, o equivalente a 16 dias do mês de junho.

O estado de alerta prevê maior mobilização das secretarias e dos diversos órgãos da prefeitura e amplia o contingente de pessoal envolvido nas ações de defesa e proteção civil. Na madrugada deste sábado (4), a Agência Pernambucana de Águas e Clima emitiu aviso meteorológico alertando para a possibilidade de fortes chuvas nas próximas 24 horas . "Áreas de instabilidade estão causando aumento da nebulosidade e ocasionando pancadas de chuvas com acumulados acima dos 30 mm", diz o comunicado.

Neste sábado, um homem morreu em razão de deslizamento de barreira em São Lourenço da Mata, na região metropolitana do Recife. A cidade acumula 132 mm de chuvas nas últimas 24 horas, quando o esperado para todo o mês de julho é 151 mm. Três casas foram atingidas pelo deslizamento e sete estão interditadas para evitar novos acidentes.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, instalou na manhã desse sábado o Gabinete Integrado de Proteção Civil. O grupo recebeu do governador a missão de monitorar o estado e agir rapidamente em caso de agravamento da situação climática. Fazem parte do gabinete a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e a Agência Pernambucana de Águas e Clima.

“A situação inspira cuidados e estamos realizando o monitoramento diário do volume de precipitação. Segundo a agência, há a possibilidade de que a intensidade da chuva diminua agora no final da tarde e à noite”, disse à Agência Brasil o coordenador estadual da Condecipe, tenente-coronel Luís Augusto França.

Segundo o tenente-coronel, além da região metropolitana, as chuvas ocorrem na Zona da Mata Norte, principalmente nas cidades de Vitória de Santo Antão e Goiana, e Zona da Mata Sul, nos municípios de Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca, Palmares, Ribeira, Água Preta e Barreiros. No Grande Recife, que abrange cidades ao redor da região metropolitana, os municípios de Abreu e Lima, São Lourenço, Igarassu e Camaragibe são os mais atingidos.

da Agência Brasil
Postar um comentário