29 de set de 2015

Dois deputados deixam o PCdoB e caem na Rede

João Derly - Reprodução do Facebook
Dois deputados federais deixam o PCdoB e filiam-se ao Rede Sustentabilidade

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

Os deputados federais Aliel Machado, PCdoB/PR e João Derly, PCdoB/RS, anunciaram nesta segunda-feira (28) suas respectivas desfiliações da legenda comunista. Ambos filiaram-se ao partido criado recentemente pela ex-senadora Marina Silva, Rede Sustentabilidade.

João Derly comunicou sua desfiliação na sua página do Facebook, confira:

"Hoje tomei uma decisão política importante. Estou me filiando à Rede Sustentabilidade, somando-me a inúmeras lideranças nacionais na construção de uma força alternativa à polarização existente hoje em dia na política brasileira. Entendo que a Rede será um diferencial, como uma forma inovadora de construir um país com visão cooperativa e sustentável de sociedade.

Agradeço a oportunidade de ter me somado às lutas do Partido Comunista do Brasil. Refiro, em especial, a deputada Manuela D´Avila, que sempre tive como referência de liderança democrática e de boa política. Também agradeço aos deputados Juliano Roso e Raul Carrion e a vereadora Jussara Cony, que foi minha colega de bancada, no meu início na política, e com quem aprendi muito, e a todos os outros filiados.

Devido ao alinhamento irrestrito político, principalmente da bancada do PCdoB, ao governo federal, tomei essa decisão por divergir de diversas posições tomadas pelo governo com apoio incondicional da bancada do partido.

Agradeço o convite da Marina Silva para me unir a esse projeto de renovação da política brasileira, me juntando a nomes como a vereadora Heloísa Helena, os deputados federais Alessandro Molon, Miro Teixeira e Aliel Machado e o senador Randolfe Rodrigues.

Por fim, reitero meu compromisso com as sociedades gaúcha e brasileira de seguir na luta por uma sociedade mais justa e igualitária através de serviços públicos de qualidade, esporte, educação e direitos da juventude."

O PCdoB emitiu uma nota sobre a saída de Jão Derly, confira:

"Nota sobre a desfiliação de João Derly do PCdoB


A Direção do PCdoB recebeu com surpresa a notícia sobre a desfiliação do deputado federal João Derly, uma decisão repentina e unilateral do deputado, que em nenhum momento dialogou com o partido sobre o assunto.

O PCdoB lamenta a decisão, pois considera que tal atitude não combina com as ideias de uma política diferente e renovadora - preceitos defendidos pelo partido e que foram fundamentais para eleger João Derly. 

Esta decisão frustra a militância e os dirigentes que se dedicaram à construção da trajetória política de Derly, iniciada em 2012 no PCdoB quando da eleição de vereador em Porto Alegre, e que teve prosseguimento com a eleição de deputado federal em 2014. 

A saída de Derly também demonstra a prática da velha política que se orienta pelas vantagens momentâneas e a falta de compromisso com as ideias e os princípios assumidos. O PCdoB, ciente do grave momento que vive o país, tem se posicionado com firmeza em defesa da democracia, contra qualquer atitude golpista. O partido defende o mandato da presidenta Dilma, legitimamente eleita, e luta por medidas que assegurem a retomada do desenvolvimento e a garantia das conquistas sociais. O PCdoB continuará lutando contra os retrocessos e a agenda conservadora, e pelo aprofundamento das mudanças que o Brasil precisa."
Aliel Machado - Arquivo Blog do Arretadinho

Já o deputado federal e ex-ministro do Esporte, Orlando Silva, PCdoB/SP, publicou uma "Carta Carta a Aliel Machado: Você vai sair do Partido?". Confira:

"[29/9/2015, 08:41] +55 61 9201-4878: Carta a Aliel Machado: Você vai sair do Partido?

Por Orlando Silva

Faz parte do jogo. O Brasil é uma democracia. Ao menos a liberdade de organização partidária existe. E são muitas as opções. Esquerda, direita, liberal, progressista, oportunista ou nem lá, nem cá.

Creio que cada pessoa, independente do que faça e da posição que ocupe, tem o direito de estar no lugar onde está feliz. Não acredito na política sem sonho, sem convicção, sem desejo, sem alegria.

Tá na moda mudar de Partido. E essa moda, na atual onda, vai até abril. Quero estimular a tolerância. O sujeito sai de um Partido político por opção, não necessariamente vira um inimigo. Pode até virar um adversário, mas confesso que guardo carinho por quem esteve comigo até anteontem.

Ingressei no partido, era bem jovem, tinha 17 anos, assim como você. Filho de uma família simples, de trabalhadores. Ingressei no Partido por convicção, por consciência, pelo respeito a sua história, por admirar os que viraram meus companheiros, assim como você. Ingressei no Partido por pensar que o capitalismo, o modo de produção de hoje, produz exploração, mas não será eterno. Serei parte da superação dele, darei minha contribuição a luta pelo socialismo, assim como você.

Ingressei no Partido sem imaginar que um dia seria governo. Mas, consciente, sei o que é ser governo, leio a história e sei o que é um governo popular. É duro, difícil, nas não me acovardo diante das tempestades.

Muitas vezes ouço companheiros de luta perplexos diante das contradições da vida, e sempre recomendo Pablo Milanes: “sei que a história é um carro alegre, cheia de gente contente, que atropela quem a negue…”

A hora é difícil, o Brasil tem uma Presidenta, a Dilma, profundamente questionada. É difícil defendê-la, a pressão da mídia é brutal! Tenho minhas convicções, sei que ela cometeu erros, ela sabe, mas o conjunto da obra é generoso para o nosso povo!

Vamos juntos, camarada! De mãos dadas! E em busca de nossos sonhos!

A vida por vezes é difícil, mas quem nunca enfrentou esses momentos? Quem nunca teve que decidir: aqui ou ali? Melhor que decidir EU, é decidir NÓS! Vamos!

Seguimos! Venceremos!"
Postar um comentário