9 de set de 2015

Fábio Jr. vai passar

Fabio Junior, um homem público, um artista. Outrora, já encantou a música brasileir a pelo talento. É triste vê -lo usar artifícios para tentar chamar a atenção no exterior, o que não consegue mais em seu próprio país.

Por *Moema Gramacho

Prestou um desserviço, nesse momento, à Nação Brasileira ao se referir a Lula e Dilma com palavras de baixo calão que não caberia a quaisquer cidadão, muito menos a um Ex-Presidente e à atual Presidenta da República.

Artistas são a alma de um país, independente da hierarquia do seu lugar na cultura nacional. Portanto, devem respeito aos ouvintes quando vão expressar suas opiniões. Aqui não se trata de censura, mas aqui pra nós, xingamentos em cima do palco são opiniões? Ou é a prova cabal da ausência de um mínimo de argumentos ou criatividade?

Como todo cidadão, o artista pode e deve expressar seu amor e seu desassossego com a nossa realidade. Que bom que assim outros despertem para falar da REALIDADE BRASILEIRA e contribuir com críticas construtivas e sugestões para superarmos a crise, ao invés de se aproveitar dela para proveito próprio.

Quando ouvi Pai Herói, Fabio Junior, em 1979, eu já cantava a música de Geraldo Vandré, caminhando e cantando – “Pra não dizer que não falei das flores”. Naquele momento, eu e muitos brasileiros e brasileiras, como Dilma, gritávamos aos quatro cantos que uma Nação precisa ser livre. Precisa que todos tenham água, comida, educação, cultura, trabalho, casa, respeito, dignidade. 
Naquele momento precisávamos sair dos tempos obscuros da Ditadura Militar. E enquanto você se deitava nos braços das redes de televisão, então silenciosas com as mazelas brasileiras, nós enfrentávamos cassetetes, cães, cavalos, para que hoje você possa dizer candidamente que o Governo do Brasil precisa fazer mais.

Fabio, a Dilma naquele momento, se recuperava de anos de tortura porque lutava pelo que o coração de todos os Brasileiros pedia: democracia, direitos para todos, voz.

Em 1980, meu caro cantor, você fez um sucesso grande com uma música “QUERO COLO”. Quem efetivamente começou a dar colo a brasileiros e brasileiras, pretos, brancos, indígenas, cafuzos, que durante séculos ficaram à míngua, sem acesso às políticas públicas, foi aquele que você destratou e que,  naquele mesmo ano, foi preso por que liderava a maior greve que o Brasil já tivera, com uma assembléia histórica em um estádio que certamente você não sabe onde fica. 

Fabio Junior, que bom que seu filho pode ter todos os dedos pra tocar guitarra ou violão e lhe dar alegria. Infelizmente, Dona Lindu, a mãe de Lula, ficou tão feliz ao ver seu filho se formar em Torneiro Mecânico, quanto chorou sentindo sua dor quando ele foi mutilado no trabalho. Aliás, brincar com a deficiência alheia não chega a ser engraçado e sim desrespeitoso com a pessoa humana.
Você sabe Fabio, que a década de 80 é considerada a “década perdida”? No Brasil, onde mais de 60% da população era pobre ou extremamente pobre? Você sabe que nos anos 90 a única evolução real foi o ensaio do controle da inflação e que antes do final da era FHC a inflação voltou? Você sabe que quando Lula assumiu o país em 2003 os brasileiros estavam mais pobres do que 08 anos antes? Em contraposição, você sabe que em apenas 12 anos, Lula e Dilma tiraram o país do Mapa da Fome?

Como você está em Nova Iorque dê um pulo na sede da ONU e vá lá perguntar qual foi o país que tirou 36 milhões de pessoas da miséria extrema e que mais de 40 milhões ascenderam a classe média em apenas uma década? Pergunte lá, qual foi o país que em 10 anos estruturou suas polícias de inteligência e de investigação.

O Brasil está em crise e a enfrenta de cabeça erguida sem pedir empréstimos ao FMI. Lembra que, antes de Lula, os presidentes do Brasil iam genuflexos, ao FMI pedir dinheiro? Mas não revertiam pra base da pirâmide.  A crise de hoje não é só nossa. O mundo enfrenta uma crise pior ainda e desde 2008. Veja aí nos noticiários. O déficit público do Brasil é menor do que o dos grandes países da Europa e mesmo dos EUA. Muito pior foi o déficit social durante décadas anteriores a Lula e Dilma. Mas não me lembro, Fabio Junior, de vê-lo cantando ou protestando contra isso.

O Brasil está, como em nenhum outro momento, investigando a corrupção. Em outros momentos isso foi escondido. Dilma é agente da mudança de postura do Brasil em relação a corrupção. Ela não é a ré. Lula e Dilma deram estrutura e autonomia para que instituições como Polícia Federal e Ministério Público tivessem condições de investigar, prender e, de fato, punir  supostos corruptos e corruptores. “O que é que há”, Fabio Junior? Passa pela sua cabeça que foi o PT quem inventou a corrupção no Brasil e que ele é o único partido que tem envolvidos em suspeita de corrupção?

Acabei de visitar uma Escola de Família Agrícola, na zona rural, em Monte Santo na Bahia, onde 400 jovens, filhos de agricultores, ali estudam. De uma dessas escolas saiu o primeiro colocado no ENEM. Esses garotos conhecem a História do Brasil, sabem quem foi Antonio Conselheiro, Rui Barbosa, Lampião, Vargas, Brizola, Juscelino, Jânio, João Goulart…; Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma. E sabem que hoje poderão continuar estudando, no campo. Ir pra uma Universidade Pública, cujo acesso foi ampliado e interiorizado. Podem ser “Doutores” e até estudar no exterior pelo programa “Ciências Sem Fronteiras”, (coisa que antes só filho de rico podia) por causa daqueles que você ofendeu. Fabio Junior, dê uma passada lá na volta de Nova Iorque. Vai tomar lá uma aula de história. E cantarão pra você a música “Vai Passar”, de Chico Buarque.

*Moema Gramacho é Deputada Federal pelo Partido dos Trabalhadores da Bahia
Postar um comentário