14 de out de 2015

Festa no Gama perturba o sono da população

Festa de aniversário do Gama termina às 4 da manhã e perturbou o sono da população

Do Gama
Joaquim Dantas
Pra o Blog do Arretadinho

A festa de comemoração dos 55 anos da cidade do Gama, realizada por uma produtora de eventos, começou na última quinta-feira (8) e estendeu-se até a segunda-feira (12). Durante esses cinco dias inúmeras duplas sertanejas apresentaram-se no palco montado no estacionamento do estádio Bezerrão.

Muitas pessoas que foram ao local para prestigiar o evento reclamaram, principalmente, dos preços cobrados pelos organizadores. Uma latinha de cerveja Antarctica (única opção) de 260ml, popularmente conhecida por "piriguete", está sendo vendida ao preço de R$ 5,00; refrigerante em lata R$ 4,00; água mineral R$ 3,00; Ice Birinight R$ 10,00 e a latinha de energético está custando R$ 8,00.

Além disso, no material de divulgação do evento existia a informação de que a entrada seria franca mas, há cerca de 30m do palco, foi colocada uma grade impedindo o acesso para quem quisesse ficar mais próximo do palco, exceto  para quem comprou o ingresso para o "camarote vibe" que ficou após a grade, ao preço de R$ 30,00 para os homens e R$ 20,00 para as mulheres, sem direito a nada, tudo o que for consumido será pago à parte.

Mas a maior reclamação foi quanto a apresentação musical do último dia. O cantor Israel Novaes subiu ao palco às 2h da madrugada e o show foi encerrado por volta das 4h da manhã. As pessoas que tinham que levantar cedo para trabalhar no dia seguinte, tiveram muita dificuldade para dormir, visto que  o som estava tão alto que podia ser ouvido até nas quadras mais distantes do local.

Outro fato que está deixando a população e lideranças da cidade indignados, é o de que a administradora da cidade, Maria Antônia, negou o tempo todo que o governo aplicaria dinheiro público na festa, entretanto, o site Saúde e Direitos Sociais, publicou que a Administração Regional gastou mais de R$ 115 mil com a festança, podendo ter aplicado este dinheiro em setores que pedem socorro na cidade, como Educação e Saúde Pública.

Na verdade, a Administração do Gama tinha disponibilizado cerca de R$ 118 mil para serem aplicados na festa, entretanto, gastou cerca de R$ 8 mil para pagar a estrutura montada para a realização do desfile cívico no dia 12, data do aniversário da cidade. Como a produtora de eventos trouxe artistas de uma só vertente musical, a administração poderia ter contratado artistas locais com parte desse dinheiro, valorizando os músicos da cidade. O que espanta nessa história toda é que, comenta-se, que tem um membro do Conselho de Cultura do Gama trabalhando na administração local e, ao que parece, está "fechando os olhos" para esse descaso que o gestor público está propiciando ao Movimento Cultural da cidade.

Comenta-se também que a administradora foi vaiada intensamente durante o desfile cívico e que teria se retirado do local chorando de decepção pela rejeição sofrida. O que foi desmentido pela Assessoria de Comunicação da administração, em um grupo no WatsApp. A assessora afirmou que a administradora foi vaiada "somente quando ela falou o nome do governador". Quem tem uma assessoria dessa não precisa de oposição.

Muitas pessoas também reclamaram quanto ao tempo em que as crianças que desfilaram ficaram expostas ao sol e ao calor, das 10h às 12h. Com este calor que anda fazendo na cidade, as crianças deveriam ter sido polpadas dessa exposição.

Parabéns ao Gama, de novo! Que a memória da população esteja 100% em 2018.

Editado às 15:20h


Postar um comentário