14 de out de 2015

Movimento do Restaurante Comunitário tem queda de 50%

Restaurante Comunitário do Gama
Foto Joaquim Dantas
Restaurante Comunitário do Gama tem queda de 50% no movimento
Do Gama
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

O movimento do Restaurante Comunitário do Gama teve uma queda drástica. Em média o movimento despencou 50% após o aumento do preço da refeição ter pulado de R$ 1,00 para R$ 3,00, no último dia 1º.

O dia que recebia o maior número de pessoas era a sexta-feira, quando é servida uma feijoada. Segundo informações de um funcionário da empresa que administra o restaurante, nesse dia eram servidas mais de 4 mil refeições, após o aumento do preço esse número caiu para pouco mais de 1.800 refeições, uma queda de mais de 50%.

Fazendo um cálculo rápido, cheguei a seguinte conclusão: Uma pessoa que precisava pegar um ônibus circular para ir ao restaurante pagava R$ 3.00 (ida e volta) de passagem, mais R$ 4,00 para comprar o almoço (marmitas) para ele, a mulher e dois filhos, por exemplo, gastando R$ 7,00 por dia. Atualmente ele pega o mesmo ônibus circular e paga R$ 4,50 para ir e voltar e paga R$ 12,00 pelas 4 marmitas, ou seja, essa despesa pulou para R$ 16,50 diariamente. Uma diferença de R$ 9,50 a mais por dia.

Com R$ 18,00 esse trabalhador consegue fazer almoço e janta durante dois dias para a família, usando carne moída, costela ou frango.

Outra prática que a empresa que administra o restaurante voltou a adotar e que já denunciamos aqui no Blog do Arretadinho, é a de servir uma quantidade menor de alimentos do que consta no Edital do GDF.

Segundo o Edital:

ARROZ:
O cardápio deverá ser constituído de arroz beneficiado, polido, longo fino, tipo 1, com até 5 (cinco) por cento de grãos quebrados, produzido diariamente, podendo, no máximo 02 (duas) vezes por semana, apresentar-se composto com outros ingredientes, que acompanhe o prato principal. O porcionamento mínimo de arroz preparado deverá ser de 200g per capita, prevalecendo o porcionamento à vontade do cliente.

FEIJÃO:
O cardápio deverá ser constituído de feijão novo, tipo 01 (um), diariamente. Podendo ainda ser composto (tutu, feijão tropeiro) no máximo duas vezes por semana. O porcionamento mínimo de feijão preparado deverá ser de 150g per capita, prevalecendo o porcionamento à vontade do cliente.

GUARNIÇÃO:
O cardápio deverá ser constituído por guarnições variadas contendo folhosos ou legumes, raízes ou tubérculos, farofas ou massas. Quantidade mínima: 100g per capita (preparação pronta).

SALADAS:
O cardápio constará sempre de 02 (dois) tipos de gêneros (verduras, legumes ou frutas) crus ou cozidos, servidos refrigerados e diariamente variados. O porcionamento mínimo deverá ser de 100g per capita, prevalecendo o porcionamento à vontade do cliente. Preferencialmente os itens da salada não 

Ainda segundo o mesmo funcionário a empresa não demitiu nenhum trabalhador com a queda do movimento mas, para quem conhece a política neoliberal do GDF, não restam dúvidas que, para isso acontecer, é só uma questão de tempo.
Postar um comentário