22 de dez de 2015

Decisão do Supremo é vitória da democracia, diz Vanessa

Foto Pedro França/Agência Senado
A decisão do Supremo Tribunal Federal de que o Senado tem  o poder de barrar o processo de impeachment mesmo que deputados aprovem a abertura é uma vitória da democracia e do estado democrático de direito, afirmou a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) nesta sexta-feira (18) em pronunciamento no Plenário. 
Na avaliação da senadora, a Casa, conduzida pelo presidente Renan Calheiros, tem sido o ponto de equilíbrio do Congresso.

— Tive orgulho de aqui estar e de ver que existe uma parcela, sim, de parlamentares, que têm compromisso não com seus interesses políticos pessoais, mas com o país. O presidente Renan Calheiros é do mesmo partido do presidente [da Câmara] Eduardo Cunha, do mesmo partido do vice-presidente da República, mas tem deixado de lado as suas questões partidárias para agir como presidente de um Poder – avaliou.

No julgamento da ação movida pelo PCdoB, os ministros decidiram também que a votação para a escolha da comissão especial do impeachment deve ocorrer de maneira aberta, e não secreta como foi feito na Câmara dos Deputados.  Definiram ainda que não é admitida a inscrição de uma chapa alternativa, como ocorreu.

— Foi uma vitória. Eu não diria uma vitória nossa, nós que lutamos contra um golpe, que defendemos o mandato da presidente Dilma, mas foi uma vitória da democracia. Foi uma vitória do estado democrático de direito. Não há dúvida quanto a isso – comemorou.

Ao contrário do que a oposição tem tentado demonstrar, não há razões para o impeachment segundo Vanessa:

— A oposição tentou aquela velha tática de falar uma mentira cem vezes para ela virar verdade, dizendo que todo problema na economia do Brasil era culpa da presidente Dilma e que a presidente mentiu durante as eleições e que fez isso e aquilo e que não havia nenhum elemento externo a justificar essa crise. Ora, quanta asneira – disse a senadora.

Crescimento
Para retomar o crescimento, argumentou a senadora, é fundamental que o país passe por um período de calmaria política:

- Se mudar de presidente, vai baixar o preço da carne? Vai baixar o preço da luz? Não! O que precisamos é de uma calmaria política, porque através da calmaria política, vamos poder resolver os problemas, ou, pelo menos, iniciar, dar os passos, para que superemos essa crise – avaliou.

da Agência Senado 
Postar um comentário