29 de dez de 2015

Jovem cria canal no Youtube para contar histórias de heróis negros brasileiros

Machado de Assis, Zumbi dos Palmares, Besouro do Mangangá. Cada dia de pesquisa sobre heróis negros do passado representa uma nova descoberta para o estudante Pedro Henrique Côrtes, de 13 anos. 
Morador da Zona Leste de São Paulo, o rapaz, negro, decidiu criar um canal no Youtube para compartilhar com outras pessoas a história e as lutas desses homens – que, para ele, não têm tanto destaque quanto deveriam.

Pedro Henrique tem 13 anos e vive na Zona Leste de São Paulo / Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

por Júlia Zaremba no Extra
e no Geledés

A ideia do projeto “Meus heróis negros brasileiros” surgiu após Pedro Henrique assistir à peça “O topo da montanha”, com Lázaro Ramos e Taís Araújo, em outubro.

— Ele me pediu de Dia das Crianças um ingresso para a peça. Era o mais jovem da plateia. Foi muito emocionante. Saiu de lá transformado, e me pediu no dia seguinte as biografias de Malcolm X, Martin Luther King e Nelson Mandela. Falei que conseguiria, mas lembrei a ele que, aqui no Brasil, também temos muitos heróis. Meu filho começou a fazer pesquisas na internet e, então, teve a ideia de fazer vídeos sobre esses homens — conta a mãe do jovem, a turismóloga Egnalda Côrtes.

Machado de Assis, Zumbi dos Palmares, Besouro do Mangangá. Cada dia de pesquisa sobre heróis negros do passado representa uma nova descoberta para o estudante Pedro Henrique Côrtes, de 13 anos. Morador da Zona Leste de São Paulo, o rapaz, negro, decidiu criar um canal no Youtube para compartilhar com outras pessoas a história e as lutas desses homens - que, para ele, não têm tanto destaque quanto deveriam.

A ideia do projeto “Meus heróis negros brasileiros” surgiu após Pedro Henrique assistir à peça “O topo da montanha”, com Lázaro Ramos e Taís Araújo, em outubro.


— Ele me pediu de Dia das Crianças um ingresso para a peça. Era o mais jovem da plateia. Foi muito emocionante. Saiu de lá transformado, e me pediu no dia seguinte as biografias de Malcolm X, Martin Luther King e Nelson Mandela. Falei que conseguiria, mas lembrei a ele que, aqui no Brasil, também temos muitos heróis. Meu filho começou a fazer pesquisas na internet e, então, teve a ideia de fazer vídeos sobre esses homens — conta a mãe do jovem, a turismóloga Egnalda Côrtes.

O primeiro vídeo da série, sobre Zumbi dos Palmares, foi publicado no dia 23 de novembro. O segundo, sobre Machado de Assis, em 12 de dezembro. O número de visualizações tem crescido a cada dia - nesta terça-feira, o canal já estava perto de alcançar 2.500 inscrições. Antes de começar o projeto, Pedro Henrique chegou a fazer outros vídeos, abordando temas como preconceito e homossexualidade.

As pesquisas sobre os personagens são feitas com a ajuda da mãe, que fica encarregada de fazer um resumo sobre os heróis. O roteiro fica todo por conta do rapaz, estudante do 8° ano do ensino fundamental, que adapta as histórias a uma linguagem voltada para o público jovem.

— Quero que outros jovens negros, assim como eu, se inspirem nesses heróis. É muito legal se inspirar em alguém parecido com você. Fala-se muito sobre heróis europeus, bandeirantes, mas quase nada sobre os negros — conta o rapaz, adiantando outros vídeos que vêm por aí: — Vou contar a história de Luiz Gama, muito pedida pelos seguidores, Francisco José do Nascimento, Cruz e Souza, Besouro de Mangangá e Chico Rei, além de falar sobre heroínas negras brasileiras.

Para Egnalda, que é apaixonada por História, a iniciativa do filho é motivo de orgulho à família.
— A ideia é fantástica. Acho que todos os jovens precisam de referências. Vivemos em uma sociedade em que elas são normalmente europeias, brancas. A importância do canal é, ao contar a trajetória de superação desses heróis negros, inspirar os jovens e mostrar que podem ser o que quiserem. É uma grande oportunidade de mudar a história, tornando-os protagonistas, e não coadjuvantes — defende a turismóloga.
Postar um comentário