7 de dez de 2015

Presidenta da UNE rechaça golpismo de Cunha

Presidenta da UNE rechaça golpismo de Cunha e afirma que impeachment é imoral
A presidenta da União Nacional dos Estudantes, Carina Vitral, denunciou ontem o golpismo que está sendo patrocinado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que na quarta-feira decidiu abrir processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. Em declaração pelas redes sociais, ela afirmou que a medida é imoral e fruto de chantagem política.

Em sua conta no twitter, ela afirmou que "a aceitação do impeachment por Eduardo Cunha é imoral, sua admissibilidade é fruto de uma chantagem política”.

A UNE deverá reunir seus diretores nos próximos dias a fim de avaliar a conjuntura nacional e o posicionamento dos estudantes. Para a presidenta da entidade, Eduardo Cunha não tem legitimidade para deflagrar esse processo e tenta apenas pressionar os partidos próximos da presidenta Dilma a votarem pela não cassação de seu mandato no Conselho de Ética da Câmara

"Eduardo Cunha ao ser indiciado não tem legitimidade para aceitar um processo de impeachment. Existe um vício de origem", tuitou Carina.

Em nota, a UNE afirma que seguirá ao lado da democracia, assim como fez em diversos momentos da história nacional, incluindo o período da ditadura militar entre 1964 e 1985. Os estudantes brasileiros não aceitarão movimentos de ruptura democrática e estarão ao lado do povo brasileiro e da soberania nacional

"Impeachment sem base legal é golpe, isso se parece mais com 1964 do que 1992", postou na rede social a presidenta da UNE.

fonte ptnacamara.org.br
Postar um comentário