11 de ago de 2016

Temer, Maia e Supremo salvam Cunha

Eduardo Cunha e seus comparsas
Foto Joaquim Dantas/Arquivo
por Esmael Morais em seu Blog

Estava escrito nas estrelas. 
O interino Michel Temer (PMDB) salvou o comparsa Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em conluio com Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o STF, todos integrantes da força-tarefa criada para esse fim.

Maia marcou para o dia 12 de setembro, após a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, a votação da anistia a Cunha.

O empresário Júlio Camargo, do grupo Setal e Camargo Correa, delatou na terça (9) que Cunha sustentava 200 deputados na Câmara com dinheiro de propina.

Dilma, uma mulher honesta, está sendo ameaçada de impeachment não pelos defeitos que eventual possa ter, mas sim pelas qualidades, dentre as quais a de não ter interferido nas investigações da Lava Jato.

Na verdade, os donos do capital não querem cassar a presidente da República. Eles desejam mesmo remover um obstáculo para aprovar o fim das férias, do 13º salário, aumentar idade mínima para a aposentadoria, congelar salários de servidores públicos por 20 anos, reduzir investimentos na saúde e na educação, enfim, vender o patrimônio público — Petrobras, Banco do Brasil, Caixa, etc. — para pagar juros aos bancos.
Postar um comentário