14 de set de 2016

GDF reconhece a legitimidade do Mercado Sul Vive

GDF manifesta apoio ao Mercado Sul Vive e oficializa interesse em desapropriar espaços ocupados
por Daniela Rueda
no www.mercadosul.org

Ato Solene ocorreu no Gabinete do Secretário de Cultura com a presença de integrantes do movimento de ocupação cultural

Em Ato Solene realizado na tarde desta terça-feira (13/09), a Secretaria de Cultura do Distrito Federal (Secult) e a Secretaria de Relações Institucionais e Sociais (Seris), órgão ligado à Casa Civil do GDF, reconheceram a Ocupação Cultural Mercado Sul Vive (MSV) e formalizaram o interesse do governo distrital em desapropriar os 8 lotes e 1 box ocupados pelo movimento cultural em Taguatinga Sul.

Estiveram presentes na cerimônia, realizada no Gabinete da Secretaria de Cultura, o Secretário Guilherme Reis, a secretária adjunta Nanãn Catalão, o staff jurídico da Secult, o secretário-adjunto de Relações Institucionais e Sociais, Igor Tokarski, integrantes da Ocupação Mercado Sul Vive, Abder Paz, Caroline Nóbrega, Daniela Rueda, Diego Mendonça e Vincenzo Tozzi, além da advogada Caroline Martins, integrante da Associação Jurídica Popular – AJUP, que tem dado suporte ao movimento.

Durante a leitura do documento, realizada por Guilherme Reis, o secretário legitima as ações promovidas no território do Mercado Sul e reconhece a ampla relevância de seu fazer cultural, com especiais recortes na produção de cultura popular, economia criativa, economia solidária e cultura digital.

Ao receber o documento em nome do MSV, Abder Paz agradeceu o apoio e apontou a importância deste gesto oficial neste momento em que a ocupação está vivendo. Em sua fala, Paz partilhou aos presentes na solenidade que as ações seguem a todo vapor nos espaços ocupados. “Mesmo sabendo que esta semana podemos ter uma reintegração de posse, ainda assim tivemos a coragem de inaugurar uma loja dentro da ocupação”, destacou o representante do movimento em sua fala de agradecimento.

No oficio assinado pelos secretários da Secult e Seris, estima-se um prazo de seis meses para encaminhar o processo administrativo de desapropriação. O oficio reconhece a legitimidade e o protagonismo do movimento MSV e da comunidade na luta pelo direito à cidade e aponta para a necessidade de ampliar e dinamizar a aplicação do Estatuto da Cidade: “o trabalho realizado por diversos coletivos no espaço, revela uma compreensão do que há de mais contemporâneo na concepção de cultura no mundo atualmente”. O documento ainda destaca o interesse publico e a “preocupação do impacto social que uma medida de reintegração possa gerar”.


Entenda a Ocupação Cultural Mercado Sul Vive
A Ocupação localizada em Taguatinga Sul enfrenta esta semana uma etapa decisiva do processo judicial que envolve um pedido de reintegração de posse das lojas ocupadas e ressignificadas. Sexta-feira às 15h está agendada uma audiência de instrução e conciliação envolvendo também o antigo proprietário dos espaços.

Desde 07 de fevereiro de 2015, dia que se deu a ocupação das lojas abandonadas no Mercado Sul, o MSV tem desenvolvido diversas ações e trabalhos visando a efetivação do direito à cidade, à cultura e a construção de autonomia na comunidade. As lojas, que não cumpriam sua função social,  abandonadas há anos, hoje são espaços vivos e ocupados por artesãos, artistas e brincantes da cultura popular, fortalecendo vínculos e vivências comunitárias.
Postar um comentário