17 de set de 2016

Se criticar gestor público ganha convite para ir para o inferno

Opinião

Editorial do Blog do Arretadinho sobre uma crítica que fiz a administradora do Gama e que a motivou a telefonar-me  mandando-me ir para o inferno.

por Joaquim Dantas

Recentemente comentei com amigos que estamos vivendo tempos de autoritarismo e retrocesso só visto antes nos tempos do AI-5. E isso não está ocorrendo apenas no mundo político não. O ator Wagner Moura declarou que várias empresas estão boicotando seu filme sobre Marighella.

Segundo o ator, que não quis revelar nomes, várias empresas estão se negando a apoiar, financeiramente, um filme de um político e guerrilheiro de esquerda, que em 1969 foi morto pela ditadura militar.

Mas as maiores, e cada vez mais frequentes,  manifestações de autoritarismo, vem mesmo é da classe política, um exemplo desse autoritarismo aconteceu comigo.

A minha filha veio à minha casa nesta sexta-feira (16) a fim de me trazer um pouco de conforto pelo falecimento de meu pai, que ocorreu no mesmo dia. Por volta das 21h ela se despediu de mim e foi, a pé, ao encontro de uma tia que mora cerca de 500m de minha casa e que a levaria de carro de volta ao encontro da mãe.

Na metade do caminho a minha filha foi abordada por um assaltante que a jogou no chão e tomou o seu aparelho celular.

Após ficar sabendo do fato publiquei nas redes sociais uma crítica a administradora do Gama, professora Maria Antônia, e ao governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, PSB.

Eis a crítica:
"Muito bem Maria Antonia, minha filha acaba de ser jogada no chão e assaltada em frente ao Centro 1 no setor Norte. Sua gestão só é responsável pelo "bônus", nunca pelo ônus, você é a pior administradora que esta cidade já teve. Estendo as minhas "homenagens" ao governador de Brasília"

Por volta das 14h deste sábado (17) recebi uma ligação da referida sra administradora onde, em um tom raivoso, gritava ao telefone dizendo que "quando eu era do Conselho Comunitário de Segurança, tinha polícia nas ruas. Depois que seus amigos assumiram o Conselho, não tem mais polícia no Gama". E continuou no mesmo tom agressivo: "...e quanto ao fato de você achar que eu sou a pior gestora qua a cidade já teve, não me diz nada porque não reconheço em você uma liderança da cidade, eu quero é que você vá para o inferno!", desligando o telefone em seguida.

Oi? Não me reconhece como liderança da cidade? E quem disse que eu almejo esse posto?

Eu sou um cidadão do Gama, minha sra e tenho todo o direito de criticar quando eu achar conveniente, entretanto, se o seu "modelo" de gerir uma cidade só aceita elogios e é agressivo com quem a critica, a sra, definitivamente, não serve para administrar a nossa cidade.

Comenta-se por todos os cantos do Gama sobre o seu temperamento agressivo e muitas vezes ameaçador, mas saiba que isso não me intimida, porque quem já enfrentou os coturnos da ditadura, permanece com a mesma disposição para fazer o enfrentamento ao autoritarismo.

Peça pra sair que já tá ficando feio.
Postar um comentário