4 de nov de 2016

Sobre a ocopação do CEM 2 no Gama

A ocupação do CEM 02 do Gama se deu de forma democrática e legitima, a votação foi feita por efeito visual, onde o turno matutino em maioria recusou a proposta de ocupação  enquanto nos turno vespertinos e noturno foi quase que unanime a decisão pela ocupação.
No Estado Democrático de Direito uma maioria elege seus representantes para tomarem decisões e isso foi feito, vez que decidiram pela ocupação, um grupo ocuparam a escola de forma organizada, exercendo a legitimidade que possuíam.

Ora que questionamentos foram feitos por parte de alunos da manha os lideres do movimento que ocupou a escola recebeu para uma conversa democrática  pessoas ligadas ao movimento contra a ocupação.

Uma comissão pró- educação da Ordem dos Advogados do Brasil- Subseção Gama e Santa Maria estiveram  no local juntamente com a Secretária Geral Drª Julia Oliveira se reunindo com conselheiros tutelares, direção da escola, professores, movimentos sociais e estudantis e alunos, também esteve presente  o assessor do Presidente da Comissão de Direitos Humanos da CLDF e o Diretor da CRE- Gama. Uma reunião que durou cerca de 2 horas e que foi reconhecido por ambos a legalidade dos atos em que se deram a ocupação da escola.

A principal reinvindicação dos alunos é a PEC 55 e a MP 726, a proposta de emendar a Constituição Federal  88 pela 92ª vez com prejuízo real a educação e a saúde pública nos próximos 20 anos e a desvalorização do serviço publico. 

A ocupação do CEM 02 foi legitima e legal, e muito organizada por estudantes protagonistas na luta por uma educação de qualidade no Gama, exemplos a serem seguidos pela garra e determinação.
Tive a honra de ajudar na segurança, e vi que todos que estavam dentro da escola tinham um foco... 
EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE E UMA REFORMA DO ENSINO MÉDIO QUE SEJA DIALOGADA COM OS ESTUDANTES.

Que venham mais ocupações.

Gama, 04 de Novembro de 2016.

Higor Alves Ferreira
Postar um comentário