11 de mar de 2017

Foto com Moro provoca críticas a Leandro Karnal na internet

Moro (esq., ao fundo) e Karnal (dir), historiador
que costuma fazer 'apologia à ética' e acabou
criticado por jantar ao lado de juiz
acusado de parcialidade no trato à corrupção
ARQUIVO PESSOAL/FACEBOOK/REPRODUÇÃO
Historiador recebeu milhares de comentários negativos e perdeu seguidores, ao declarar amizade ao juiz, acusado de blindar membros do PSDB suspeitos de corrupção

por Redação RBA 

O historiador Leandro Karnal, um dos pensadores brasileiros mais populares da atualidade, foi duramente criticado por seus seguidores após postar uma foto ao lado do juiz federal de primeira instância Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava-Jato. As informações são do portal Fórum.

"Dia intenso em Curitiba. Encerro com um jantar com dois bons amigos: juiz Furlan e juiz Sergio Moro. Talvez não faça sentido para alguns. O mundo não é linear. A noite e os vinhos foram ótimos. Amo ouvir gente inteligente. Discutimos possibilidades de projetos em comum", escreveu Karnal, na legenda da imagem em seu perfil no Facebook.

A publicação surpreendeu muitas pessoas, que chamaram a atenção para a parcialidade de Moro ao longo das investigações, acusado de blindar membros do PSDB suspeitos de corrupção e de comandar uma perseguição jurídica ao ex-presidente Lula, desprezando preceitos constitucionais e até o Código Penal brasileiro. Alguns internautas, inclusive, ameaçaram deixar de curtir a página do historiador. "A isenção tem limite. Um dia a casa cai. Saudades da época que os intelectuais tinham alguns ideais próprios", reclamou um deles.

O jornalista e diretor-executivo da agência de comunicação digital CobraCriada,  Leandro Fortes anunciou ter cancelado sua inscrição da página de Karnall no Facebook. "Não que isso lhe afete, mas eu era um grande admirador seu. Estou descurtindo a página. Que vc seja feliz com seus amigos super inteligentes que estão destruindo o Judiciário e o Brasil", escreveu. Em sua própria página, Fortes completou: "Leandro Karnal com Sérgio Moro é como o Sensacionalista com a Veja. Podem continuar falando a mesma coisa, mas perderam a essência e, portanto, o sentido que lhes dava valor. Dentro do contexto que eram, não existem mais."
Postar um comentário