11 de jun de 2015

Juventude combativa enfrenta a truculência

Foto Facebook Maria das Neves
As jovens mulheres combativas que enfrentaram a truculência na Câmara dos Deputados

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

A agressão sofrida pelos jovens no plenário 1 da Câmara dos Deputados, na tarde desta quarta-feira (10), só  reafirma o perfil truculento do novo Parlamento brasileiro. Por ordem do presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, CCJ, deputado Arthur Lira, PP-AL, os seguranças da Câmara retiraram os jovens do plenário com uso de força desproporcional e spray de pimenta.

A audiência pública da CCJ destinava-se a debater a admissibilidade da proposta de emenda à Constituição, PEC, 171/93 que reduz a maioridade penal dos atuais 18 para 16 anos, foi encerrada sem que a leitura do relatório fosse feita. Centenas de jovens de todo o Brasil, que estão participando do #OcupaBrasília2, lotaram o plenário 1 e com palavras de ordem se posicionaram contrários à aprovação da proposta.
Carina Vitral, presidenta da UNE, sendo agredida por seguranças de terno e
outros à paisana. De costas e com farda da PM,
o deputado Capitão Augusto (PR-SP)
Foto Facebook Maria das Neves

Como a maioria dos deputados que compõem a CCJ são delegados de policia e oficiais da Polícia Militar, o resultado não poderia ser outro: a Polícia Legislativa Federal, DEPOL, que cuida da segurança no Congresso Nacional, retirou os estudantes do local com uso de força desproporcional e spray de pimenta, o que levou dezenas de jovens ao departamento médico da Câmara para atendimento emergencial.

foto Facebook Maria da Neves
A presidenta da União Nacional dos Estudantes, UNE, Carina Vitral, disse que foi agredida pelos agentes do DEPOL e que os estudantes foram xingados, entre outros, de vagabundos. Durante a audiência houve discussões entre deputados e também bate-boca entre deputados e manifestantes contrários à PEC. O plenário da CCJ esteve lotado durante todo o debate com  a grande maioria das pessoas contrárias à aprovação da redução da maioridade penal. Com isso, a reunião da CCJ foi marcada por vários momentos de tensão.

A PEC principal sobre a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos está tramitando na Câmara há mais de 20 anos. A ela foram apensadas mais 38 propostas sobre o tema. Segundo o relator da matéria, deputado Luiz Couto (PT-PB), entre as PECs há a proposta para a redução da maioridade para 12 anos e outras que propõem a redução da maioridade sem limite de idade.
Barbara Melo, presidenta da UBES, atingida por gás de pimenta
foto Facebook Maria da Neves

Barbara Melo, presidenta da União dos Estudantes Secundaristas, UBES, e Carina Vitral, presidenta da UNE, estiveram à frente do protesto durante todo o tempo e foram as mais agredidas, entretanto, em nenhum momento arredaram o pé ou se amedrontaram com as ameaças feitas pelos deputados da bancada da bala e dos truculentos seguranças da Câmara. Essas jovens mulheres, eleitas recentemente para a presidência das duas entidades, começam a ser forjadas na luta e já se pode ter uma ideia à que veio essa nova direção, que deram um recado claro ao conservadorismo na política: a juventude do Brasil vai resistir e combater o retrocesso!





Seguranças da Câmara perseguem os movimentos estudantis do lado de fora e ameaçam com armas. Momento tenso da truculência e covardia de parte da polícia legislativa!!! #ReduçãoNão
Posted by Jandira Feghali on Quarta, 10 de junho de 2015


Juventude de diversos cantos do País é agredida durante protesto contra pauta da maioridade penal e faz protesto na entrada principal da Câmara. Palavra de ordem engasgada!!!
Posted by Jandira Feghali on Quarta, 10 de junho de 2015


Juventude sai VITORIOSA e impede votação da redução da maioridade penal. Seguranças da Casa usam até spray de pimenta e truculência para afastar os movimentos sociais!!! JUVENTUDE AGUERRIDA!
Posted by Jandira Feghali on Quarta, 10 de junho de 2015

Polícia legislativa agride estudantes contrários à redução da ...
Há tempos venho denunciando a militarização da DEPOL e sua crescente resistência a movimentos sociais e de trabalhadores que sob a gestão de Eduardo Cunha, vem se intensificando. Recentemente foram dois trabalhadores que saíram gravemente feridos durante uma manifestação contra o PL 4330/04, da terceirização. Hoje, a truculência chegou a níveis jamais vistos nesta Casa, com manifestantes sendo atingidos por gás de pimenta durante uma sessão especial da PEC 171, que discute a redução da maioridade penal. Vocês leram direito! Gás de pimenta em uma sala fechada e durante uma manifestação legítima e pacífica! Várias pessoas passaram mal nos corredores das Comissões e nossos assessores acompanharam outros tantos estudantes intoxicados com o spray até o DEMED. Segundo relatos, a pancadaria não se limitou ao ambiente interno da Casa do Povo e manifestantes foram perseguidos pelos seguranças do lado de fora, onde também havia policial a paisana soltando mais gás de pimenta. A que ponto chegamos!Depois de ter a transmissão do áudio cortada, a reunião foi transferida para outro plenário, mas a votação foi adiada para a semana que vem, após pedido de vista coletivo. Vejam abaixo o vídeo!Tempo ruim!#reducaonao#reducaonaoesolucao
Posted by Jean Wyllys on Quarta, 10 de junho de 2015
Postar um comentário