3 de jul de 2015

Pernambuco S/A

Pernambuco S/A
Joaquim Dantas

Não se bula é não se mexa,
catotento é melequeiro.
Calunga, carroceiro,
suas ventas é seu nariz.
Bica d'água é chafariz,
rasgou a boca é enganou-se;
morrer é se finou-se
e rapariga é meretriz.

Tá na baia, está em uso,
aperreio, perturbação
e faniquito é emoção.
Severino sempre é Bil
e o maloqueiro é marginal.
O macaco é policial
desde o tempo de Lampião,
que era o diabo, o cramulhão.

A piniqueira é doméstica,
fazer muganga é careta.
Beber pinga é meota.
Tamborete é banquinho
e badoque, atiradeira.
Vários homens, cabroeira,
o inquieto é amulestado
e o vermelho é encarnado.
Postar um comentário