11 de ago de 2015

Bolsas para residência médica ampliam atendimentos no interior

Governo anuncia a criação de 3 mil bolsas para residência médica; estudantes deverão cursar pelo menos 30% do internato na Atenção Básica e nos serviços de emergência do SUS
Para ampliar o atendimento do Mais Médicos à população brasileira, o governo federal anunciou nesta terça-feira (4), durante cerimônia de comemoração dos dois anos do programa, a criação de três mil novas bolsas para residência médica. Nesta etapa, 75% das bolsas serão destinadas para a especialização em Medicina Geral de Família e Comunidade, com prioridade para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

A oferta do Programa Nacional de Apoio à Formação de Médicos Especialistas em Áreas Estratégicas – Pró-Residência terá duas mil bolsas financiadas pelo Ministério da Saúde e mil pelo Ministério da Educação. As inscrições poderão ser feitas pelas instituições interessadas entre 10 de agosto e 4 de outubro. Serão contratados 880 professores para atuar nas universidades federais que abriram novas vagas nos cursos de Medicina ou que criaram novas faculdades.

O governo também anunciou a criação do Cadastro Nacional de Especialistas, banco de dados que vai integrar informações sobre os médicos especialistas registrados em todo o País. Para aprimorar as políticas públicas e o planejamento para a formação e distribuição de novos especialistas, serão agregadas no banco de dados informações do Ministério da Educação e de órgãos de saúde do governo. O decreto regulamentando o cadastro foi assinado durante a cerimônia pela presidenta Dilma Rousseff.

“Estamos avançado e vamos conseguir ir além do que preconiza a Lei do Mais Médicos, interiorizando as vagas, com um novo modelo de curso de Medicina e de um novo profissional com foco na saúde pública”, afirmou o ministro da Educação, Renato Janine, durante a cerimônia.

Atenção Básica
Pelas regras do programa, os estudantes deverão cursar pelo menos 30% do internato na Atenção Básica e nos serviços de emergência do Sistema Único de Saúde (SUS). O Mais Médicos prevê  a criação de uma vaga de residência para cada médico formado até 2018. Das 12,4 mil vagas previstas pelo programa, o governo já autorizou a abertura de 4.742 vagas para formação de especialistas. Com as novas 3 mil vagas, serão cobertos mais de 62% da meta.

Dentre as 11,4 mil vagas de graduação que serão criadas até 2017, 5.306 (46%) já foram autorizadas em 82 municípios. Destes, 27 não possuíam graduação em medicina. Outras 4.347 vagas serão oferecidas em universidades privadas.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Saúde e Ministério da Educação.
Postar um comentário