10 de set de 2015

Por que os refugiados querem para a Alemanha?

ENTENDA POR QUE OS REFUGIADOS ESCOLHEM A ALEMANHA PARA VIVER 
Existem alguns fatores que fazem os refugiados sírios escolherem o país germano.

SYL POLANSKI - blastingnews

Atualmente o Oriente Médio e fronteiras com países europeus vivem a guerra jihadista, que tem gerado a morte de inocentes em várias partes do mundo. Desde o ano passado, milhares de árabes e africanos tem buscado abrigo em países europeus e motivos para que a Alemanha seja a pátria escolhida não faltam.

Na Alemanha existe uma norma que é contrária ao restante da Europa, que consiste no seguinte: Enquanto a Regulação de Dublin exige que os candidatos a refugiados solicitem o refúgio no primeiro país em que pisam no continente, a Alemanha permite que eles o façam mesmo passando por outros países antes de chegar em território alemão. Isso diminui as chances de rejeição.

Outro ponto importante é que a população alemã tem diminuído devido à baixa taxa de natalidade do país. Atualmente, a Alemanha dispõe de elevada população acima de quarenta anos e nos próximos anos pode se tornar um dos países com mais idosos do mundo. Por conta disso, o país carece de mão de obra para alguns serviços especializados que as pessoas mais velhas não podem mais executar por conta das limitações naturais do corpo e os refugiados podem ajudar a Alemanha sendo essa mão de obra, não como escravos, mas de forma remunerada, de forma que eles ajudem o país e o país possa ajudá-los a reconstruir suas vidas.

E por fim, a Alemanha dispõe de baixos índices de deportação, ou seja: caso o cidadão estrangeiro solicite refúgio, mas este seja negado, dificilmente a pessoa será deportada.

Mesmo com as facilidades oferecidas desde a semana passada, quando mais de dez mil pessoas já adentraram o país, a Alemanha pode negar solicitações de refúgio de pessoas provenientes de:

Kosovo
Montenegro
Sérvia
Senegal
Macedônia
Bósnia-Herzegovina
Gana
Albânia
Todos os países da União Europeia

Isso se deve ao reconhecimento de que todos os países mencionados são considerados seguros e portanto não cabe refúgio. Embora não tenha sido citado na lista acima, o mesmo vale atualmente para América Central e América Latina, que não possuem nenhuma situação reconhecida internacionalmente de violação dos direitos humanos.
Postar um comentário