28 de out de 2015

PM de Rollemberg usa de truculência em protestos

Fotos: Deva Garcia/SINPRO
Rollemberg chama a PM. que usou de truculência, para acabar com protestos dos servidores públicos do Distrito Federal.

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

Cerca de 400 servidores públicos protestaram na tarde desta quarta-feira (28) contra a intransigência do Governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, em não negociar o pagamento do reajuste devido a eles. Os servidores, em sua maioria professores da rede pública de ensino, interditaram as saídas Sul e Norte, simultaneamente, interrompendo o trânsito de veículos.

O reajuste dos professores está previsto em Lei desde 2014, mas o governador insiste em dizer que não tem dinheiro e repete a velha ladainha de que herdou o governo falido. Acontece que recentemente, com o aval da Câmara Legislativa do Distrito Federal, CLDF, Rollemberg meteu a mão em R$ 1,2 bi do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal, IPREV. Com este valor o governo conseguiu sair da condição de ter ultrapassado a Lei de Responsabilidade Fiscal, segundo informou o próprio governo.

Acontece que, desse montante, sobraram cerca de R$ 500 mil, que poderiam ter sido usados para poder fechar essa questão, mas não o fez, dando mais provas de que é um mentiroso e que engana a população com apoio de parte da mídia.

Truculência da Polícia Militar
O Batalhão de Operações Policiais Especiais, BOPE, foi acionado para acabar com os protestos na Ponte do Bragueto, saída Norte e no final do Eixão Sul. Inúmeros relatos dão conta que o BOPE já chegou nos dois locais atiranto com balas de borracha e usando spray de pimenta, o que causou um grande tumulto e desespero, inclusive nas pessoas que estavam nos carros parados pelos protestos.

Professores e diretores do Sindicato dos Professores do Distrito Federal, SINPRO/DF, depois de serem agredidos, foram levados à 1ª DP algemados e com ferimentos provocados pelos policiais. Segundo nota do SINPRO, advogados do sindicato dirigiram-se à delegacia para prestar apoio jurídico aos detidos.

Segundo informações recebidas pelo Blog do professor Assis Souza no início da noite, o diretor do sindicato Samuel Fernandes, teve que ser internado em um hospital devido as gravidades dos ferimentos provocados pelos policiais do BOPE. Também recebemos a informação de que outra diretora do SINPRO, a orientadora educacional Meg Guimarães, foi agredida covardemente, algemada e presa pelo BOPE, como comprova o vídeo abaixo que a professora Ana Maria enviou à nossa redação. Também foi atingido por balas de borracha o diretor do dindicato Ilson Veloso.

Em uma nota vergonhosa, o GDF diz "lamentar" que os professores tenham "radicalizado" o movimento grevista. Confira:

“Nota Oficial
O governo de Brasília lamenta que alguns poucos professores, sob o comando do sindicato, tenham radicalizado o movimento grevista que realizam com o fechamento de vias públicas e interrupção do tráfego. Assim, além de prejudicar os alunos das escolas públicas e seus pais, esses professores em greve causaram transtornos a milhares de pessoas que transitavam pelas vias de Brasília. O governo nunca deixou de receber os sindicatos e já deixou claro, aos servidores e à população, que não tem condições orçamentárias e financeiras de pagar agora os reajustes salariais concedidos em 2013. As greves e a interrupção de vias em nada contribuem para que os pagamentos possam ser feitos.

O governo de Brasília tem a obrigação de assegurar à população o livre trânsito pelas vias da cidade e não pode permitir que algumas pessoas interrompam o tráfego por sua vontade ou a qualquer pretexto. A Polícia Militar agirá sempre, dentro da lei e de suas atribuições, para impedir o fechamento de vias públicas."

Esta é mais uma demonstração de autoritarismo que o governador Rollemberg dá aos trabalhadores do DF, uma vergonhosa demostração!

Postar um comentário