8 de nov de 2015

Mutirão de dermatologia no Hran supera anos anteriores

Mais de mil pacientes foram atendidos neste sábado (7). Desses, 23 passaram por cirurgia para retirada de câncer de pele 

O Hospital Regional da Asa Norte (Hran) recebeu 1.050 pacientes durante o mutirão de dermatologia promovido neste sábado (7). Desses, 23 passaram por cirurgia para retirada de câncer de pele e 152 foram diagnosticados e encaminhados para cirurgia e tratamento. A ação começou às 8 horas e 24 médicos, sendo 20 consultando e quatro em cirurgia, foram voluntários. A média dos anos anteriores foi de 400 pacientes atendidos.

O mutirão dermatológico faz parte da Campanha Nacional de Combate ao Câncer de Pele, promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. São feitos neste sábado atendimentos clínicos e cirúrgicos em pacientes que já tenham essa indicação de tratamento. "Nem todos os casos que precisarem de intervenção cirúrgica serão feitos hoje", explica a coordenadora de Dermatologia da Secretaria de Saúde, Roula Kazac. "A partir de segunda já tem pessoas agendadas". Segundo Roula, 800 pessoas são aguardadas até o fim da ação.

Para a digitadora Eliete Coelho, 49 anos, valeu a pena chegar às 6h30 e aguardar até as 11 h para se consultar. "A médica olhou cada pinta e uma mancha que me preocupava. Felizmente, nada foi descoberto", ressalta a moradora de Ceilândia.

A aposentada Josefa Morais, 73 anos, que passou pela quarta cirurgia para retirada de tumores, recomenda que o cidadão se cuide quando jovem. "Eu fui lavradora no Maranhão durante mais de cinquenta anos e nunca me cuidei", lembra. A moradora de Taguatinga agora verifica sempre a orelha e o pescoço ao lado direito do rosto onde costumam aparecer as manchas.

Consultas
As consultas de dermatologia são agendadas pelo Sistema de Regulação (Sisreg). Para marcar, é necessário ir até uma unidade de saúde com o encaminhamento médico apontando suspeita de câncer de pele.

O Hran conta com dois espaços específicos para o atendimento clínico. Além disso, há um ambulatório para fazer o mapeamento corporal por meio de aparelhos avançados em pacientes com necessidade de rastreamento de melanoma. Também há três locais para cirurgia.

Prevenção
Evitar a excessiva exposição ao sol no horário das 10 às 16 horas, quando os raios ultravioletas são mais intensos, é uma das principais recomendações para evitar o câncer de pele. Porém, mesmo em outros períodos, as pessoas devem se proteger com chapéu e filtros solares, com fator 15 ou superior.

Também é sugerido por médicos fazer autoexame da pele, de modo regular, com ajuda de espelho, para detectar precocemente o câncer. A orientação é ficar alerta a manchas pruriginosas [que coçam], descamativas ou que sangram; sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor; ou feridas que não cicatrizam em quatro semanas. "Esses passos não descartam a visita ao médico, mas servem para mostrar se é necessário se preocupar ou não", destaca a presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia seção Distrito Federal, Beatriz Medeiros Ribeiro. 

da Agência Brasília
Postar um comentário