9 de dez de 2015

Pondo a Fofoca em dia

Oiiiiiiiiiiiiii!
Boa noite, meninos! Boa noite, meninas!
Affffffffffff Nervosa com esse negócio de impítima da Mãe Dilma, mas que sacanagem! Esse Brasil não tem jeito, agora os bandidos destituem o delegado, para não irem presos, pode?

Mas também... Se esse impítima não passa... Acabou a oposição, mamãe vai taxar as grandes fortunas, é, tem muito dindim, põe unzim aqui na caixinha do povo, e tascar a lei da mídia, vai tirar o pit bonner do palanque, só tô esperando, a polícia tratando o Aecim qui nem criolim da favela, dando cascudo no cocuruto: de quem era aquela cocaína, fala, moleque! 

O vovô fraldão escondido debaixo da cama, Embromaldo Caiado disfarçado de boiadeiro, ordenhando as vacas dele, igualzinho ordenhou o Cachoeira, Bolsonaro dando tiros nos pombos no pátio do Congresso, Agripino e Feliciano fazendo streap num puteiro de quinta, vai ser a glória, o Cunha com um cassetete enfiado no nha. Afffffff 

A zona tá feia mas tá divertida, e a cartinha do Temer: mamãe, a senhora não deu a minha mamadeira na hora certa, esqueceu de botar o supositório que o meu pediatra mandou, não me deixa brincar no play, tô de mal, vou trair a senhora, vou ser adotado pelo PSDB, isso é trauma do Temer e do FHC, acreditam em amor de miss cinqüenta anos mais novas que eles, falta pinto e ficam querendo descontar no povo, falar em trauma, minha irmã, a Teodinéia Dadivosa, está levando o meu sobrinho no psicólogo infantil, culpa da televisão, traumatizou o menino, como é que eu vou contar, xô ver... 

Não pode falar punheta, é feio, então tá, a Teodinéia tava lá na molhação de biscoito, é, tomando tapa na xana, e o menino olhou pelo buraco da fechadura justo no momento em que ela tava acariciando o papudinho do meu cunhado, e falando besteiras: quero uma menininha bonitinha, pra fazer companhia ao irmão.

Mas que coincidência, não é que engravidou? E o moleque ficou com aquilo na cabeça, até o dia que o pai foi ao banheiro e ele foi atrás. Menina, se pendurou no pau do pai, puxou, gritando quero uma bicicleta no natal, o pai desesperado, tá se tratando, avançou no pau do avô, do tio, de todo mundo que ele acha que pode dar uma bicicleta pra ele.

Esse psicólogo infantil é muito bom, uma amiga minha curou o filho com ele. Imagina, menina, que deram um tambor pro moleque e, affffffff, ele batia naquela merda o dia todo, ninguém mais aguentava, e se tomasse o tambor era pior, chorava mais que o Aécio na hora do resultado da eleição, foram na macumba, no descarrego do Edir Macedo, fizeram promessa pra Santa Propina dos Deputados, e nada. Usaram a pedagógica terapia do Alkimin, porrada, choque elétrico, spray de pimenta, e nada, o moleque naquela porra do tambor dia e noite, infernizando a família e a vizinhança, até que deram o endereço desse psicólogo. Em duas consultas o guri ficou curado, o doutor convenceu que tocar punheta e melhor que tocar tambor.

Mas voltando pra política, Gigi Mendes tá muito quietinho e cobra peçonhenta quando se aquieta é porque vai dar bote, não vale uma frase escrita pelo Tiririca, e a Lava Jato? 

Parou, virou Lava Carroça, acho que é esperando o resultado do terceiro turno da eleição, se os ladrões ganharem a operação acaba, o Fernandinho Beira Moro deixa de ser promotor e volta a ser juiz, e aquele japonês da polícia federal volta pra fronteira do Paraguai, pra organizar o contrabando, tão vendendo britadeira como vibrador, pode? 

Escutei barulho de carro, deve ser o Pinto Morto, o meu marido, chegando no nosso carrão do ano, é, ano de 66, um fusquinha, a gente tinha um golzinho mas o Pinto Morto Bateu numa Mercedes, quebrou a lanterna traseira do cara e tivemos que vender o carro, pra comprar outra, com tanto fusquinha no mundo o fdp tinha que quebrar uma lanterna de Mercedes, todo castigo pra pobre é pouco, vou dormir, vocês, além de fofoqueiros estão muito sem vergonhas hoje, ainda tenho que ensinar a lição do meu filho, no outro dia a professora pediu sinônimos e palavras de mesma etimologia, começadas pela letra x, aí o menino escreveu xana, xota, xeca, xibiu, xereca, xoxota e a professora mandou me chamar na escola, pode isso? 

Ainda bem que não foi com a letra p, senão o cretino tinha escrito pau, pênis, pinto, piru, eu não aguento mais esse menino, quem dera que o pai fosse assim, e a última fofoca do dia: me contaram que um nonagenário ex presidente... Nonagenário é quem tem noventa anos, nojento! Mas como eu ia dizendo, ia o nonagenário ex presidente com a quase adolescente esposa, empurrando um carrinho de bebê, com uma criança linda, e um moreno saradão, junto, quando encontraram o Aloysio Gianechini Nunes, e o ancião foi apresentando: esta é minha esposa, prazer, esse é o nosso filhinho, mas que bonitinho! E perguntou: e esse cidadão? Ao que o privatizante ancião respondeu: esse é o meu pau.

Boa noite, petralhada do meu coração!

Quem deixar de ir às passeatas e comícios pela legalidade, em defesa da mãe Dilma, da democracia e do Brasil haverá de padecer de hemorroidas supuradas, vai ter que dormir de bruços com um enfermeiro abanando.

Cuidado, praga de macaca pega. 

Tichau, fofoqueiros da moléstia.

Hermenegilda Dadivosa – Cronista política e social, Mãe de Santo na Bancada Evangélica.
Rio, 08/12/2015.
Postar um comentário