9 de dez de 2015

Tucano dizia que voto secreto 'é excrescência inadmissível'

Tucano Carlos Sampaio dizia que voto secreto 'é excrescência inadmissível'
Um dos mais ferozes defensores do golpe contra o mandato de Dilma Rousseff, deputado do PSDB foi indicado em votação secreta para a comissão do impeachment e comemorou decisão do plenário

por Redação da RBA

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados e um dos mais ferozes militantes do impeachment no Congresso, Carlos Sampaio (PSDB), foi indicado em votação secreta para a comissão do impeachment de Dilma Rousseff, ontem (8), por meio de uma das muitas manobras do presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele foi um dos que mais comemorou a vitória da chapa alternativa.

Mas em 19 de fevereiro de 2013, o parlamentar tucano pensava de outra maneira. Na época, ele classificou o voto secreto no Congresso Nacional como “uma excrescência inadmissível”. Sampaio foi membro da Frente Parlamentar do Voto Aberto.

O tucano paulista declarou no plenário que votar "contra o voto secreto" era na época uma "prioridade" do PSDB. "Como nossos eleitores vão saber qual é a sua posição de fatos importantes para a nação?", questionou à época.

Quando da aprovação da chamada PEC do voto aberto, em 2013 (assista ao vídeo), Sampaio comemorou a decisão: “O voto secreto é uma das maiores excrescências que existem no Parlamento brasileiro”.
Postar um comentário