6 de jan de 2016

Jornalista acusa segurança de supermercado de racismo em BH

Foto do perfil de Etiene no Facebook
Em Belo Horizonte uma jornalista acusa um segurança de supermercado de racismo 

De Brasília
Joaquim Dantas
Para o Blog do Arretadinho

A jornalista e publicitária mineira, Etiene Martins, de 32 anos, não imaginava que o simples fato de entrar em um supermercado para comprar uma lâmpada, seria motivo para para passar três horas em uma delegacia para registrar uma ocorrência policial, alegando ter sido vítima de racismo praticado por um segurança da loja. O fato aconteceu em uma das filiais do supermercados O Dia, na manhã desta terça-feira (5).

Em nota a rede de supermercado lamentou o ocorrido e afirmou que "não compactua com qualquer destrato aos clientes cometido por funcionários e/ou terceiros”. Após apurar os fatos a empresa resolveu demitir o funcionário no final da tarde. “O funcionário, terceirizado, já foi desligado de suas funções”, comentou. 

Em seu perfil no Facebook Etiene faz um relato surpreendente do fato, confira:

"Hoje descobri que sou o tipo de gente que rouba o DIA Supermercado!

Ao passar na rua da Bahia avistei um supermercado novo e resolvi entrar para comprar duas lâmpadas. 

Quando cheguei na porta fiquei em dúvida e perguntei ao segurança onde era a entrada já que de um lado havia uma roleta e do outro os caixas. 

O segurança que se chama Nivaldo olhou pra mim com seus olhos azuis de cima abaixo e gritou agressivamente que era para eu colocar a minha bolsa no guarda volume, o supermercado parou, funcionários e clientes voltaram a atenção para nós (sempre pensei que tiraria de letra uma situação dessas, mas queria que o chão se abrisse pra eu pular dentro). 

Eu respondi que não foi essa a pergunta que o fiz, e o perguntei porque que eu deveria guardar minha bolsa já que todas as mulheres que os meus olhos alcançavam no interior da loja estavam com suas respectivas bolsas. 

Ele me perguntou em alto e em bom som se eu não sabia ler apontando para um painel que estava na parede com mais de 50 frases e uma delas dizia: Proibida a entrada com bolsas, sacolas e mochilas. 

Nisso um outro cliente passou a roleta com bolsa e entrou na loja sem que o segurança o abordasse. Rodei a roleta e o segurança tirou o cassetete da cintura para me intimidar, mesmo com medo perguntei a ele se ele achava que eu iria roubar a loja. Ele olhou pra mim e falou bem alto “é esse tipo de gente que rouba aqui todos os dias”.

Pensei em virar as minhas costas e ir embora, mas fui até a encarregada da loja que se chama Luciane e relatei o ocorrido a ela e disse que ele me constrangeu e me ameaçou com o cassetete. 

Ela me disse que isso já havia ocorrido outras vezes e que ela só estava esperando outra pessoa reclamar para pedir a substituição do mesmo. 

Aí não aguentei. Solução da história fomos parar na delegacia eu e ela para fazer um B.O. de constrangimento, calúnia e ameaça, tudo isso levou três horas e meia.

Descobri hoje que jornalista e publicitária é o tipo de gente que rouba o DIA Supermercado. . ‪#‎nenhumDIAéDIAderacismo‬

Eu que me achava tão forte e tão preparada para enfrentar uma situação dessas senti que a dor é tão cruel que dá vontade de pedir ao condutor: Para a vida que eu quero descer, mas não, não sou eu que devo descer. Mesmo com toda humilhação que nos sujeitam não podemos nos calar. Temos que gritar bem alto (mesmo que com lágrimas nos olhos): aqui não racista! Obrigada à todos que compartilharam o ocorrido, obrigada à todos que deixaram um recado carinhoso em inbox para me consolar.

Começar 2016 com o racismo mais presente como nunca é inaceitável, mas agradeço à todas as pessoas que me apoiaram com carinho e atenção nesse momento tão difícil ( e não foram poucas).

Os principais sites de noticias falaram sobre o fato o R7, G1, Jornal O Tempo, Jornal Estado de Minas dentre outros. 

Os racistas estão lá a comentar .Peço que deem uma lida nas matérias.

A luta contra o racismo continua, não sou a primeira e infelizmente não serei a última"...
Postar um comentário